text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Formação deve se adaptar?

      

O secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação e Cultura (MEC), Francisco César Sá Barreto, esteve ontem em São Luís visitando a UFMA e participando da abertura do Fórum de Reitores de Universidades Estaduais e Municipais. Em entrevista a O Estado, ele falou sobre a situação do ensino superior no país e sobre a situação da UFMA.

O ESTADO ? Como está o ensino superior hoje no país?
Francisco César Sá Barreto ? Hoje temos dois sistemas funcionando. Um é público, com universidades federais, estaduais e municipais, e outro privado. Foi adotado um modelo universitário híbrido porque era preciso expandir a capacidade de formação em todo o país. Mesmo assim, apenas 12% dos estudantes do ensino médio chegam até às universidades. Contudo, esse índice poderá cair um pouco mais porque aumentou a oferta de vagas no ensino médio e o mesmo não ocorreu no ensino superior.

O ESTADO ? Quais as diferenças entre os dois sistemas?
Francisco barreto ? A diferença fundamental é de recursos humanos. Enquanto as universidades públicas possuem um pessoal muito qualificado fazendo pesquisa, extensão e ensino, com equipamentos mais antigos, as universidades particulares possuem equipamentos novos e de primeira linha e um pessoal que não tem a mesma excelência. Isso se repete em todo o país. Mas as projeções para o futuro mostram que há uma tendência de equilíbrio entre os dois sistemas no futuro.

O ESTADO ? Há uma explosão de cursos universitários em todo o país. No Maranhão, há cinco anos, existiam quatro instituições; hoje há 23. Esse fenômeno, em relação às necessidades do mercado do trabalho, não estaria oferecendo falsas esperanças aos universitários ?
Francisco barreto ? O ensino superior precisa ficar atento às necessidades do mercado, mas não precisa estar necessariamente atrelado a ele. O que é preciso fazer é mudar a fórmula de formação dos profissionais com ensino superior. Estamos propondo a flexibilização dos cursos de graduação. A realidade é múltipla e precisamos entender que é preciso se preparar para o que virá no futuro. O perfil que o mercado de trabalho pede é um hoje, mas daqui a alguns anos ele poderá mudar muito e o universitário precisa entender que ele deve se preparar para enfrentar as mudanças do mercado de trabalho.

O ESTADO ? Como isso poderia ser feito ?
Francisco barreto ? Já há algumas iniciativas. Na Universidade Federal de Minas Gerais, por exemplo, o aluno tem à sua disposição as 4000 disciplinas que a universidade oferece. Ele só precisa respeitar um tronco básico, mas é ele quem decide que tipo de formação terá.

Fonte: O Estado do Maranhão - São Luiz

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.