text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

2.º turno da UEM será disputado por opostos

      
Os professores Gilberto Pavanelli, da Chapa UEM Pública e Competente, e Tarcísio Pires de Trindade (Tarso), da Chapa UEM Novos Caminhos, foram os mais votados, ontem, no primeiro turno da eleição para a reitoria da Universidade Estadual de Maringá. Os dois candidatos disputam o segundo turno, na próxima quinta-feira (29).

A apuração foi encerrada às 3h30 de ontem. Votaram na maior eleição da história da universidade 10,8 mil alunos, professores e servidores ? cerca de 60% da comunidade universitária. Pavanelli foi o mais votado, com 3.433 votos. Tarso obteve 2.707 votos. Quatro chapas disputaram a reitoria.

O resultado coloca na disputa final dois candidatos de posições políticas opostas. O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Gilberto Pavanelli, tem o apoio da reitora Neusa Altoé e, por isso, é visto como uma continuidade da atual gestão. Já o professor Tarso, do Departamento de Informática, representa a ala de esquerda, cujo discurso baseia-se na universidade pública, gratuita, autônoma e de qualidade. Tarso é apoiado pelo Sindicato dos Servidores.

Como pró-reitor de pesquisa, Gilberto Pavanelli se orgulha da posição de primeiro lugar da UEM no ranking da pesquisa científica no Paraná.

Atualmente são mais de 360 projetos em andamento, com 169 grupos de pesquisadores cadastrados ao Conselho Nacional de Pesquisa (CNPQ). Sua principal proposta é transformar a Universidade em uma "Unicamp paranãnse" -? numa referência à

Universidade Estadual de Campinas (SP).

Para isso, acredita que a instituição precisa se relacionar de forma mais aberta com a comunidade externa, mostrando seu potencial científico e angariando apoios políticos e financeiros. Para Pavanelli, é preciso acabar com o encastelamento da produção científica.

Valorizando a autonomia universitária e pregando transparência administrativa, o professor Tarcísio defende a implantação de uma auditoria interna na universidade para se verificar como o dinheiro público está sendo empregado. A instituição administra R$ 103 milhões anuais e sempre surgem rumores de uso indevido destes recursos.

Fonte: Gazeta do Paraná - Cascavel
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.