text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Pressão pelo plano de carreira

      
A assembléia programada pelo Sindicato dos Professores (Sinpro) para a tarde de ontem, na Câmara Legislativa, não obteve o resultado esperado. A intenção era pressionar os distritais a incluir emendas no projeto elaborado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para o plano de carreira. Só que os professores não encontraram deputados na casa e a reunião terá de ser remarcada.

De acordo com José Antônio Coelho, diretor do Sinpro, o novo

encontro só será marcado quando o governo encaminhar o projeto à Câmara, o que está previsto para o dia 30. ??Vamos passar de gabinete em gabinete, para garantir que esses pontos serão incluídos??, adiantou Coelho.

Os professores querem que o novo plano de carreira seja único, com validade para toda a categoria. Também reivindicam a equiparação do piso salarial para os profissionais de terceiro grau. Hoje, os professores recebem R$ 380 na carteira por 20 horas de trabalho semanal, enquanto outros profissionais recebem R$ 480. A reformulação do plano de carreira foi um dos pontos que motivou a greve ocorrida nos meses de março e abril deste ano. Ao todo, foram 37 dias letivos parados.

Fonte: Correio Braziliense



  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.