text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

A Unemat e o interior de Mato Grosso (1)

      
Do último sábado até nesta segunda-feira, tive a oportunidade de manter um contato próximo com a ação de interiorização da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), em Tangará da Serra e em Sapezal. Este artigo é uma dupla confissão: de reconhecimento da universidade e de imperdoável desconhecimento.

A Unemat é uma universidade estadual, nascida em Cáceres como instituição privada e incorporada posteriormente à Secretaria de Estado da Educação. Sua missão é a de levar cursos de licenciatura voltados ao magistério e alguns cursos de graduação a municípios do interior de Mato Grosso. Dito assim, não se revela que ele possui, além da sede em Cáceres, 10 campi descentralizados, 14 núcleos temporários em outros municípios, 79 cursos, mais de 10 mil alunos matriculados e faz milagres com um orçamento que em 2002 não passa de R$ 22 milhões.

Faço questão de registrar os municípios onde se localizam os campi, que são estruturas físicas e administrativas completas, para dar uma idéia da dimensão do esforço de se interiorizar a educação de nível superior no Estado: Cáceres, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Barra do Bugres, Sinop, Colíder, Alta Floresta, Luciara, Nova Xavantina e Alto Araguaia. Já os 14 núcleos, que são ofertas temporárias de cursos com turmas especiais para atender às demandas existentes, estão localizados em: Guarantã do Norte, Matupá, Peixoto de Azevedo, Terranova do Norte, Juara, Cláudia, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Rosário Oeste, Araputanga, Jauru e Comodoro.

Os cursos oferecidos são: em Licenciatura: pedagogia, letras, ciências biológicas, matemática, história, geografia, ciência da computação, mais os da área indígena. Em Bacharelado: biologia ciência da computação, direito, ciências contábeis, administração, economia, agronomia, arquitetura rural e urbana, engenharia florestal, zootecnia, engenharia da produção agroindustrial, turismo, e enfermagem.

Tive a oportunidade de acompanhar e de participar com duas palestras do "I Fórum de Educação - Perspectivas e Políticas para uma educação de qualidade", realizado em Sapezal. Lá, a Unemat já oferece um núcleo, com o curso de Ciências Contábeis e está em vias de oferecer um de licenciatura em Letras. Interessante é que o volume de atividades e um orçamento curto só se viabilizam com fortes parcerias entre as prefeituras e empresariado e Unemat. ? um sistema eficiente.

Outro ponto absolutamente necessário de registrar é o comprometimento da Unemat, dos professores e administração com a educação. ? realmente de emocionar acompanhar o vaivém de gente entre municípios, ora de ônibus, ora de vans, ora de carros e até em caminhões, para que os campi e os núcleos funcionem. Há um clima de construção no ar. Conversei longamente com o reitor Arno Rieder, que encerra o mandato no próximo mês.

Ele contou-me dados de uma pesquisa realizada pela universidade no interior revelou um dado surpreendente: entre os alunos que se matricularam em cursos, 50% não teriam condições de estudar fora. Outros 50%, se fossem, não gostariam de voltar ao município. Com isso, o papel da Unemat é o de levar a educação a municípios, como Sapezal, por exemplo, que tem 12 mil habitantes. Ou arquitetura a Barra do Bugres. Os alunos mantêm-se na própria região, e os cursos são ministrados levando em conta demanda local e o modo de viver a cultura de cada região.

Fonte: A Gazeta de Cuiabá - Opinião, Onofre Ribeiro


  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.