text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

UFPel cobra na Justiça dívidas da saúde

      
A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) está cobrando, via Poder Judiciário, uma dívida nominal de R$ 78 mil da Prefeitura de Pelotas. O montante, sem atualização, resulta das glosas feitas em pagamentos devidos quando a UFPel era responsável pela administração do Pronto-Socorro e que tiveram suas contas glosadas pela Secretaria da Saúde e Bem-Estar.

A revelação foi feita pela reitora Inguelore de Souza ontem, ao prestar depoimento na CPI da Saúde, na Câmara de Vereadores. O processo de cobrança está concluso para que o perito contábil faça a atualização dos valores.

"Se considerarmos as glosas feitas, a Universidade tem crédito junto à Secretaria da Saúde. A nossa cobrança é feita em relação ao período anterior ao acordo feito, onde a Prefeitura e outras instituições assumiram o compromisso de aportar recursos para cobrir os gastos do Pronto-Socorro", afirmou Inguelore.

A reitora prestou depoimento até perto do meio-dia, acompanhada pelo pró-reitor Administrativo, Paulo Pinho, e o assessor Luiz Ernani ávila. Ela respondeu as perguntas iniciais do relator Gilberto Cunha (PSDB) e, após, foi questionada por vereadores presentes.

Revelou que, mesmo com o limite de atendimentos sendo alcançado antes do final de cada mês, o Hospital-Escola da UFPel continua prestando os atendimentos, especialmente nas especialidades de quimioterapia, radiologia e laboratório. "Temos condições de atender plenamente a demanda, trabalhando nos sete dias da semana, 24 horas por dia. Mesmo que o teto seja alcançado, seguimos atendendo a população, que não pode ser prejudicada", afirmou ela.

Inguelore defendeu a necessidade de maior agilidade na conferência das glosas feitas, com a realização permanente de auditorias. "Não temos conhecimento se houve auditoria. Defendemos este controle, pois todos terão a correção em seus procedimentos", apontou.

Especificamente sobre o PS, ela lembrou que, por 12 anos, a Universidade foi a responsável pela sua manutenção. "Em muitos anos, a FAU (Fundação de Apoio Universitário) arcou sozinha com a gestão e atendimento do Pronto-Socorro. Não podemos negar que tivemos o apoio da Santa Casa, que foi muito importante", considerou. (José Ricardo Castro)

Fonte: Diário Popular - Pelotas


  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.