text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

MEC quer criar Enem do ensino fundamental

      
Está em estudo pelo Ministério da Educação (MEC) a criação do Exame Nacional do Ensino Fundamental (Enef), que não apenas avaliaria o conhecimento dos alunos da 8.ª série do ensino fundamental como também poderia ajudá-los a ingressar no ensino superior. A prova - opcional - seguiria os moldes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), criado pelo governo Fernando Henrique Cardoso em 1998 e feito anualmente pelos alunos do 3.º ano. Além do Enef, a equipe do ministro Cristovam Buarque quer estender o Enem aos alunos do 1.º e do 2.º anos do ensino médio.

A nota do exame já é usada parcialmente por mais de 400 instituições de ensino superior para compor a nota de seus vestibulares. A Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, usa 20% da nota no exame na 1.ª fase de suas provas.

Segundo o secretário do Ensino Superior do MEC, Carlos Antunes, a idéia é que as notas das provas (todas de conhecimento geral) formem uma média que poderá ser aproveitada pelas instituições de ensino.

O que estamos propondo é uma nova forma de acesso. Imagina o menino pobre na 4.ª série: ele passa ter uma outra perspectiva e uma outra motivação ao saber que se estudar e chegar bem preparado na 8.ª série aquilo vai ajudá-lo a entrar na faculdade, disse ontem Antunes, que participou de um debate sobre educação e pesquisa promovido pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) em São Paulo. Essa perspectiva seria mais motivadora para o aluno e para o professor.

Antunes disse que a proposta ainda será apresentada em detalhes ao ministro.

A secretaria também quer criar uma avaliação específica de português e matemática para os alunos do último ano do ensino médio.

Ao contrário do Exame Nacional do Curso Superior, o Provão, o Enem ganhou mais elogios do que críticas desde sua criação. O exame é muito bem elaborado e sua utilização torna o vestibular mais prático para as instituições, diz o diretor-executivo da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), José Walter Pereira dos Santos. O Enem é uma iniciativa válida e sempre passível de melhora.

Neste ano, 1,3 milhão de estudantes fizeram a prova e governo federal gastou R$ 55 milhões para aplicá-la.

Fonte: O Estado de S.Paulo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.