text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Prêmio para filhos conquista os pais

      
Boas notas durante o ensino médio ou faculdade podem significar dinheiro no bolso para quem é filho de funcionário do grupo Fiat. Em sua sétima edição no no país, o Prêmio Fiat de Educação premia os 120 melhores formandos de segundo grau e os 20 melhores formandos de nível universitário, selecionados entre todos os filhos de funcionários do grupo. Ao todo, a Fiat já investiu R$ 3,2 milhões no prêmio que tem por objetivo incentivar a capacitação profissional nas famílias de seus empregados.

Na segunda-feira, o grupo italiano entregou os prêmios relativos ao ano de 2002, em cerimônia realizada no Hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte. O evento contou com a participação especial do ministro Luiz Dulci, da Secretária Geral da Presidência. Quanto mais educados forem os nossos trabalhadores, mais competitivo será o nosso país, afirmou o ministro, que é professor de língua portuguesa e trabalhou por muitos anos com educação de adulto.

O ministro desejou que o exemplo da Fiat incentive iniciativas semelhantes em outras empresa. Cada um dos premiados de nível médio recebeu um cheque de R$ 3 mil. Os de nível superior, cheque de R$ 6 mil. Filhos dos funcionários de todas as empresas do grupo podem participar da seleção, enviando o currículo escolar para a avaliação da comissão julgadora. A seleção dos melhores considera a média de notas obtidas durante todo o curso.

O prêmio Fiat de Educação é um compromisso da empresa com o futuro, com a esperança de dias melhores, disse o presidente da Fiat do Brasil, Roberto Vedovato, em seu discurso. Desde a criação do prêmio no Brasil, 1.017 alunos já foram premiados.

Diretor de assuntos internacionais da Fiat Spa, a holding mundial do grupo, Mauro Pasquero veio ao Brasil para participar da cerimônia, numa demonstração da importância do projeto para a empresa. O executivo lembrou que o prêmio existe em todos os países onde a Fiat tem atuação.

O dinheiro é para os filhos dos funcionários. Mas os pais, os empregados da Fiat, sentem-se tão premiados quanto os jovens alunos. Segundo o contador Jubert Ivan Reis, o prêmio é demonstração do compromisso da companhia com a qualidade de vida do funcionário e sua família. ? um grande incentivo para os meninos, disse ele.

Na segunda-feira, Reis participou da solenidade de entrega dos prêmios pela segunda vez, acompanhando sua filha, Isabela, que concluiu no ano passado o segundo grau. Há três anos, o contador estava na solenidade de entrega do 4º Prêmio Fiat de Educação para prestigiar o filho mais velho, Marcelo. O dinheiro recebido pelo rapaz foi usado para a compra de um computador.

Janine Segurado Nunes, uma das premiadas de nível universitário, discursou em nome dos 20 recém-formados que receberam o cheque de R$ 6 mil das mãos do ministro Luiz Dulci e do diretor da Fiat Spa, Mauro Pasquero. Elaressaltou que iniciativas como o Prêmio Educação são prova de comprometimento da empresa com o trabalhador.

Janine também é beneficiada por outro programa voltado para filhos de funcionários, trabalhando como monitora de visitas na fábrica da Fiat Automóveis, em Betim. As vagas para monitores são sempre preenchidas por filhos de funcionários que recebem em troca ajuda de custo para os estudos.

Filha de empregado da CNH, em Curitiba, Eliete Kovalhuk recebeu na segunda-feira seu segundo cheque da Fiat. Na primeira edição do prêmio, a paranãnse foi premiada pelas notas obtidas durante o segundo grau. Neste ano, recém-formada em direito, foi selecionada entre os 20 melhores alunos de nível universitário. Para mim, o prêmio é um incentivo não só financeiro, avaliou ela. ? um incentivo para superação pessoal.

Técnico de protótipos da CNH, o pai de Eliete, Eugênio Kovalhuk, foi de Curitiba para Belo Horizonte, por conta da Fiat, para prestigiar a homenagem à advogada. Outra filha de Eugênio também já foi reconhecida em outra edição do prêmio.

Neste ano, como em todos os outros, foram premiados desde filhos de operários da linha de montagem quanto filhos de executivos graduados, como superintendentes de empresas do grupo. Segundo informações da Fiat, todas as empresas do grupo contribuem para a verba destinada ao prêmio, na proporção do número de funcionários. Ao todo, as empresas do grupo Fiat empregam 23 mil pessoas no Brasil.

Fonte: Valor Econômico
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.