text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Alunas de Comunicação Social da UFMA vencem Concurso Nacional

      
As Relações Públicas Amarílis Cardoso Santos e Andréia da Silva Barbosa, conquistaram, respectivamente, o primeiro e terceiro lugar, no Concurso Nacional de Monografias e Projetos Experimentais promovido pela Associação Brasileira de Relações Públicas (ABRP), com sede em São Paulo.

O Concurso Nacional possui cinco categorias, e Amarílis garantiu o primeiro lugar na Categoria Atividades Comunitárias, com o trabalho "A formação da Opinião Pública na Greve estudantil pela meia-passagem, em 1979, no Maranhão: o Caso do Jornal Pequeno, no período de 15 a 24 de setembro de 1979"; e Andréia concorreu na Categoria RP para Públicos Específicos, com o trabalho Memória Organizacional da Aliança Bíblica Universitária de São Luís: espaço de interação de sujeitos.

A entrega das Premiações foi parte do ENCONTRO DE RELAÇÕES PÚBLICAS DA ECA/USP - Escola de Comunicação e Arte da Universidade de São Paulo. O evento aconteceu durante todo o dia 12 de novembro, deste ano, no auditório da ECA. Na oportunidade Amarílis participou, ainda, de uma mesa de debate denominada de GT Prêmio ABRP 2002/2003, durante toda a tarde. Aqui, os primeiros colocados de cada categoria, tanto de monografias como de projetos experimentais, puderam expor aos colegas seus Trabalhos de Conclusão de Curso.

A entrega do prêmio
Marcado por muita emoção e alegria, o Encontro foi encerrado com uma Homenagem ao Professor Doutor Cândido Teobaldo de Souza Andrade (in memorian), um dos maiores teóricos das Relações Públicas e fundador do Curso de RP da ECA, com o batizado da sala 39 do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo com o seu nome; e logo após pela entrega dos Prêmios.

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) foi a única Universidade do nordeste vencedora no Concurso. E foi por toda essa simbologia que a RP Amarílis não mediu esforços para ir a São Paulo e comparecer ao Evento, a fim de representar a UFMA, a sua amiga Andréia e todo o povo do Maranhão. "Mais do que um Prêmio Acadêmico, este troféu tem para mim um poder simbólico que ninguém neste auditório pode imaginar. Ele representa a vitória de uma Universidade Pública do nordeste, que fica em um dos Estados mais pobres da Federação Estou muito feliz de estar representando o povo do meu Estado, mas, estou mais realizada em representar a minoria, infelizmente, nas universidades brasileiras que são as mulheres e os negros", ressaltou emocionada Amarílis quando discursou em nome dos vencedores de 2003.

Fonte: UFMA
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.