text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Cristovam questiona estudo de Palocci

      
O ministro Cristovam Buarque (Educação) questionou ontem o estudo do Ministério da Fazenda em que os investimentos do governo nas universidades públicas são considerados distorções dos gastos sociais.

A distorção que existe é que muitas vezes as universidades não formam as pessoas conforme o país e o povo precisam. A universidade que forma as pessoas de que o país e o povo precisam tem de ser gratuita. O problema, portanto, não é que vai dinheiro público para a universidade estatal, e sim se ela não presta um serviço público, disse ele.

Na última sexta-feira, a Folha mostrou que a Fazenda havia elaborado um roteiro para uma ampla reforma no gasto social do país. Além do financiamento das universidades federais, outro alvo são as deduções dos gastos com educação e saúde no Imposto de Renda da Pessoa Física.

O embasamento do diagnóstico do ministério é que a maior parte dos alunos das universidades públicas é das classes mais altas. Ou seja, o governo estaria bancando os estudos dos mais ricos.

Daqui a pouco vão querer que a escola de oficiais do Exército e o Instituto Rio Branco [que forma diplomatas] sejam privatizados. A pergunta é: o Brasil precisa de diplomatas e de oficias do Exército? O Estado, então, tem de pagar por eles. A premissa [correta] é a quem a universidade presta serviço, e não a que aluno, afirmou Cristovam, após uma solenidade na Câmara dos Deputados.

Se o filho do homem mais rico do Brasil entrar na universidade para ajudar a resolver o problema da malária, ele não tem de pagar pelos seus estudos. Ele tem de pagar é imposto para que a gente possa manter a universidade pública, disse ele.

O presidente do PT, José Genoino, já afirmou que o partido é contra o fim da universidade gratuita e a canalização dos gastos sociais apenas para as camadas menos favorecidas.

Genoino considera que o documento da Fazenda não representa uma posição final do governo, e sim um elemento para o debate.

O ministro da Educação foi na mesma linha. Isso aí [dito por Genoino] é a posição do PT, do presidente Lula. Acho o documento da Fazenda extremamente positivo para ser analisado porque essa é a minha posição, mas a gente não tem que ter dogmas, disse ele, em tom conciliador.

O documento Gasto Social do Governo Central está no site www.fazenda.gov.br.

Fonte: Folha de S.Paulo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.