text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Jovens pesquisadores ganham academia internacional

      
O Fórum Mundial de Ciência, que reuniu dezenas de autoridades de diversos países em ciência e tecnologia entre os dias 8 e 10 de novembro, em Budapeste, na Hungria, terminou com a criação de uma rede internacional para cooperação entre jovens cientistas.

De acordo com notícia divulgada pelo serviço SciDev.Net, a nova Academia Mundial de Jovens Cientistas (cuja sigla em inglês é Ways, de World Academy of Young Scientists) pretende atuar "como uma ponte entre jovens pesquisadores de países desenvolvidos e de países em desenvolvimento". Outro objetivo é influir na definição de políticas científicas nacionais e internacionais.

A idéia de criar uma rede internacional para cientistas em início de carreira partiu da Conferência Mundial sobre Ciência, realizada em 1999, também em Budapeste. A Ways será financiada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), pela Academia Húngara de Ciências e pelo governo da Hungria.

A Academia Mundial de Jovens Cientistas está aberta a estudantes e pesquisadores entre 15 e 40 anos, de qualquer país. Candidatos que residam em nações em desenvolvimento não precisarão pagar para se associar. A primeira assembléia da nova associação deverá ser realizada na Tunísia, no final de 2004.

O Brasil esteve representado no Fórum Mundial de Ciência por Roberto Amaral, ministro da Ciência e Tecnologia, Hernan Chaimovich, diretor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo e por Carlos Vogt, presidente da FAPESP e vicepresidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.
Mais informações: ways@sztaki.hu
Fonte: Agência Fapesp
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.