text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Especialistas alertam: a ansiedade pode estragar tudo

      
Os que conseguiram chegar perto da vaga no último exame e continuaram estudando estão a um passo da conquista. Mas é bom ficar atento para não deixar o nervosismo interferir na hora da prova Não é difícil notar quem está partindo para nova tentativa na Fuvest - em especial depois de quase ter passado no ano anterior. Basta ver quem não consegue manter uma conversa por muito tempo sem olhar o relógio, brinca o coordenador do curso Objetivo, Caio Sérgio Calçada. Eles ficam explodindo de tão ansiosos para a chegada da nova chance.

Brincadeiras à parte, a ansiedade costuma ser o principal adversário dessa classe de candidatos. Desde que, claro, eles tenham dedicado tempo e esforços aos estudos. Se um candidato chegou às portas da faculdade num ano, ele precisa aprender só um pouco mais para passar, considera Calçada.

O que o atrapalha na nova tentativa, então, é o nervosismo. O estudante Ricardo de França Rosendo, de 18 anos, concorda. Tenho tentado aliviar a pressão nesta reta final de preparação, diz. No domingo, ele presta a prova para Engenharia pela segunda vez. Acredito que, depois de mais um ano de estudos puxados, vou conseguir. Segundo a professora de Psicologia da USP Cíntia Freller, quem ficou perto da vaga no último vestibular precisa controlar os nervos e manter a auto-estima em cima. ? importante ter confiança em si mesmo, afirma. Em situações normais, é possível dizer que o desempenho no novo vestibular será melhor do que no anterior.

A especialista em orientação profissional do departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Patrícia Cíntia Mortara tem outro ponto de vista. A nova tentativa é um processo diferente da prova anterior, com novos concorrentes e novas questões, afirma. Acredito que só consegue ir bem no novo exame quem levou os estudos a sério durante o ano, esmo tendo sido reprovado por pouco. Para ela, só encontra a tranqüilidade necessária para fazer bem a prova quem aceita que pode ser reprovado novamente. Quando o vestibulando descobre que ter experiência na prova não conta tanto assim, que ele tem praticamente as mesmas chances de passar de alguém que presta pela primeira vez o exame, ele deixa de se cobrar tanto, acredita a psicóloga. E fica mais relaxado. Redação - O professor Calçada recomenda que os estudantes que bateram na trave prestem atenção a alguns momentos específicos durante a realização das provas.

No caso deles, a ansiedade costuma aparecer quando precisam desenvolver idéias, em especial na redação, observa. Esses alunos que ficaram por pouco tendem a esquecer vocabulário e a não conseguir desenvolver um tema com eficiência na hora da prova, por causa do nervosismo.

Fonte: O Estado de S.Paulo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.