text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

MEC pretende agilizar o ProUni

      
O ministro da Educação, Tarso Genro, disse ontem que se o Congresso Nacional não votar o Programa Universidade para Todos (ProUni) no próximo dia 15, quando começa o esforço concentrado, caberá ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidir sobre o assunto. O governo aguarda as votações para definir se editará medida provisória (MP) para agilizar a implantação do programa que cria vagas públicas nas universidades filantrópicas e privadas para alunos de baixa renda. Tarso enfatizou que é preciso preservar a reserva de 20% das vagas nas filantrópicas e de 10% nas particulares, porque o relator do projeto já fez várias alterações no texto, inclusive prevendo a concessão de bolsas parciais. Conforme ele, há outras formas de viabilizar o ProUni em estudo. Acordo firmado com 31 instituições de Ensino Superior garante 20 mil vagas, mas, para Tarso, a votação é essencial para atingir de 80 mil a 100 mil vagas.

Com o objetivo de explicitar as mudanças do MEC, o ministro participou ontem, em Brasília, do seminário "A Educação do campo contribuindo na reforma do Ensino Superior". O debate reuniu professores e lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), União Nacional de Escolas de Famílias Agrícolas do Brasil (Unefab), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e dos Atingidos por Barragens (MAB). Tarso destacou princípios da reforma, como refinanciamento; expansão da rede pública; fixação de novos marcos regulatórios e vinculação com desenvolvimento regional. Para Orlando Nunes, da Universidade Federal do Pará, e João Batista, da Universidade Católica de Brasília, a reforma deve ter políticas de interiorização do Ensino Superior e esclarecer a formação universitária para o campo.

Fonte: Correio do Povo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.