text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Servidores da UFC encerram greve

      
Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Ceará (UFC) decidiram, ontem, pôr fim à greve que durava dois meses e meio. O motivo da retomada ao trabalho foi a promessa do Governo Federal de enviar ao Congresso Nacional, em 15 dias, o projeto de lei para criação do plano de carreira da categoria.

As atividades voltam ao normal a partir da próxima quarta-feira, dia 8, inclusive com a divulgação de um novo calendário de matrícula. As inscrições para o vestibular foram prorrogadas até o dia 24, no Campus do Pici, e até o dia 26, na Internet.

COMPROMISSO - Em assembléia na tarde desta quinta-feira, no pátio da Reitoria, os trabalhadores resolveram seguir a orientação do comando nacional do movimento. Na quarta-feira, a Federação de Sindicato de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra) assinou acordo com o Governo Federal para que este enviasse o projeto de lei ao Congresso. Daí a recomendação para que as 40 universidades em greve realizassem suas assembléias ontem.

Assinaram o termo de compromisso os ministros da Educação, Tarso Genro; e do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guido Mantega, além de representantes da Fasubra e da Central énica dos Trabalhadores (CUT).

Pelo combinado, o Governo Federal comprometeu-se em garantir agilidade no trâmite do projeto e disponibilizar R$ 341 milhões, em 2005, e R$ 365 milhões, para o exercício de 2006.

PLANO - A aprovação do projeto de lei que reestrutura a carreira dos trabalhadores técnico-administrativos era a reivindicação principal dos grevistas, que iniciaram o movimento em 23 de junho, promovendo prejuízo de atendimento à sociedade.

Na UFC, o ápice do movimento atingiu 70% dos cerca de cinco mil servidores da universidade (3.500 ativos e 1.500 aposentados).

A greve paralisou parcialmente (como forma de pressionar o Governo Federal), setores importantes como o Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand. Serviços, como matrícula e retirada de diplomas, por exemplo, foram prejudicados por conta da greve.

VESTIBULAR - A paralisação na UFC interrompeu parcialmente, desde 11 de agosto, as inscrições para o próximo vestibular. Ontem, porém, foi divulgado novo prazo. Pelo meio eletrônico, até esta quinta-feira, foram inscritos 19.906 candidatos. Outros cinco mil conseguiram fazer a inscrição presencial na universidade. O calendário das provas está mantido, iniciando em 21 de novembro, com Conhecimentos Gerais, na primeira fase.

Fonte: Diário do Nordeste
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.