text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Voz pode ser alterada com tratamento fonoaudiológico

      
Algumas pessoas possuem vozes que não combinam com seu tipo físico, sexo ou idade. É o caso de homens adultos com vozes mais agudizadas que o normal, mulheres jovens com vozes agravadas e afonia, entre outros. Alguns desses problemas de voz não são causados por alterações na prega vocal, que é considerada normal em anatomia e fisiologia, se movimentando corretamente. Mesmo assim a pessoa não consegue produzir o som normal. É aí que entra uma das áreas de atuação em voz do profissional fonoaudiólogo: o tratamento das disfonias funcionais.

A docente e supervisora da área de Voz da Clínica de Fonoaudiologia da Uniara, Maria Lúcia Dragone, explica que os distúrbios de voz são, algumas vezes, causados por problemas funcionais de postura de laringe ou funcionais psicossomáticos. "A pessoa não apresenta nenhuma lesão ou motivo visível e anatômico para a voz ser dessa forma", diz.

A postura inadequada de laringe faz com que a pessoa se acostume a falar produzindo uma tensão inadequada no órgão ou um movimento compensatório inadequado. Isso é causado, de acordo com Maria Lúcia, por traumas emocionais, opções incorretas de postura da laringe ou tensão, que faz com que a pessoa não se acostume a produzir a voz de maneira solta.

No caso de adultos do sexo masculino que possuem voz fina o problema pode se iniciar na passagem para a puberdade. Nessa fase, os garotos passam por um processo chamado muda vocal, que é o agravamento da voz em quase uma oitava. "A laringe e as pregas vocais crescem, existe toda uma mudança no organismo. Algumas vezes os rapazes não fazem essa mudança vocal com tranqüilidade e não se acostumam a produzir a voz na forma relaxada, mantendo uma postura inadequada de laringe", explica Maria Lúcia.

Ela conta que a atuação fonoaudióloga nesses casos acontece, além da avaliação vocal, em um tratamento por meio de exercícios que servem como uma espécie de "manobra mecânica" da própria laringe. "Conseguimos, dessa forma, comprovar se o problema é postural da laringe e mostrar que a pessoa, com um ajuste motor diferente, pode emitir voz normal voluntariamente", diz.

Descoberto o novo ajuste motor, o paciente passa a fazer terapia para desencadear e automatizar a postura diferente da laringe. "São feitos, por exemplo, alguns tipos de relaxamento cervicais com apoio de manobras digitais da laringe, que é conduzida para a posição correta durante a fala do paciente. Assim, ele percebe que tem uma outra opção motora", explica a fonoaudióloga. Ela acrescenta que os exercícios são bastante direcionados para cada caso.

Maria Lúcia afirma que os resultados são muito interessantes. "Quando a voz não combina com o tipo físico ou mesmo com a personalidade da pessoa acontece um desgaste emocional e das relações interpessoais muito grande. Ao oferecermos uma opção de ajuste motor confortável e uma voz que combina muito mais com ela o ganho na qualidade de vida é muito grande", afirma.

O tratamento para alteração de voz em pessoas que não apresentam problemas anatômicos ou fisiológicos na laringe constatados por exame otorrinolaringológico também é realizado na Clínica de Fonoaudiologia da Uniara. Mais informações pelo telefone 3333-7313.

Fonte: Uniara
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.