text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Imersão no VER-SUS Brasil - Terça-feira, 14 de setembro

      

Começamos o dia às 7h30 da manhã. Após o café, fomos divididos em quatro grupos. Um grupo foi novamente ao Caps (Centro de Atenção Psicossocial) ver as atividades físicas realizadas com os deficientes mentais. Outro foi para o laboratório oncológico presenciar o trabalho feito com pacientes com câncer, uma experiência muito rica, segundo o relato dos meus colegas.

Outro grupo foi conhecer a Santa Casa de São Carlos. Apesar deste ser meu interesse por estar realizando um projeto de comunicação sobre a Santa Casa de São Bernardo para meu curso na faculdade, decidi visitar a maternidade em frente, pois a visita à Santa Casa se restringia a conhecer o local. Na maternidade, pude ver o trabalho das enfermeiras e o funcionamento do banco de leite. Ainda vi os bebês tomando banho e outros com apenas duas horas de vida! Foi muito emocionante.

Na parte da tarde o grupo novamente se dividiu. Tínhamos a opção de visitar outros lugares onde não fomos pela manhã, ou ainda fazer uma visita epidemiológica. Esta última era de total interesse da Tati, a única estudante de medicina veterinária do grupo.

Para outra colega, Roberta, envolvida com movimento estudantil, a melhor opção era a inauguração do USE (Unidade Saúde Escola), o hospital escola que está sendo construído na UFSCAR. A grande presença no evento foi a do ministro da Saúde, Humberto Sérgio Costa Lima.

Como eu preferi ir ao Caps na parte da tarde, porque foi o último momento para visitar os pacientes com distúrbios mentais, não pude ir à inauguração. Pedi para um colega tirar uma foto do ministro para depois guardamos de recordação na página do SUS.

Meu interesse no Caps era justamente conhecer o trabalho, pois lá eles têm um atendimento diferenciado para os pacientes, muito diferente àquela idéia antiga de sanatório. Os pacientes fiquem livres dentro de uma casa no centro da cidade, pois assim não perdem o convívio com a sociedade. Eles são, sim, medicados, mas têm um acompanhamento com psicólogas, terapeutas ocupacionais e assistentes sociais, além do psiquiatra.

Por volta das 17h voltamos aqui para o alojamento e aqui ficamos. Me parece que mais tarde teremos uma discussão, mas ainda não sei exatamente sobre qual assunto.

*Lilian Burgardt é aluna do quarto ano do curso de Jornalismo da Uni SantïAnna, em São Paulo

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.