text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Quem é o aluno dos cursos tops da UFSM

      
Sabe aqueles cursos universitários muito concorridos, que toda a mãe torce para ver seu filho aprovado? Pois para entrar nestes cursos na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) vontade apenas não basta. Provavelmente será preciso investir muito dinheiro para chegar lá.

Cerca de 64% dos alunos da Federal são egressos de escolas públicas - e, conforme a reitoria, 3 mil deles são carentes e recebem assistência da universidade. Mas nos cursos que estão entre os mais disputados na Federal - entre eles os que prometem carreiras promissoras, como Medicina, Direito e Odontologia -, a maioria dos que conseguem a vaga tem boa situação financeira. Quem tem poder aquisitivo menor opta por cursos menos concorridos, em muitos casos à noite.

Uma pesquisa feita pelo professor Cláudio Emelson Dutra, do Centro de Educação da UFSM, mostra parte dessa realidade. Mestre em Educação, há oito anos Dutra estuda o perfil dos inscritos no vestibular e dos que são aprovados.

Os dados não chegam a ser uma novidade, pois comprovam as pesquisas dos vestibulandos feitas pela Comissão Permanente do Vestibular (Coperves) e divulgadas em 2003 e 2004. O trabalho de Dutra, no entanto, tem um diferencial: revela as características dos aprovados nos 10 cursos de maior média harmônica (notas equilibradas em todas as provas) no vestibular 2004.

O professor chegou a conclusões como a que mostra que a maioria dos classificados em Odontologia, Medicina, Direito, Administração diurno, Publicidade, Química Industrial, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo e Psicologia tem boa condição social familiar.
Metade dos estudantes veio do ensino particular
São estudantes que não trabalham, têm hábito diário de leitura e usam o computador em casa. Oito em cada 10 estudantes têm, no máximo, 21 anos e fizeram cursinho pré-vestibular antes de chegar à universidade. Outro dado importante é que metade deles concluiu o Ensino Médio em escolas privadas.
O cursinho preparatório é cada vez um acessório básico para garantir o curso superior. Segundo a pesquisa, todos os 80 aprovados em Odontologia este ano foram alunos de pré-vestibulares. Para Dutra, isto reflete a baixa qualidade da educação básica, tanto do ensino público quanto do privado:

- Se você é bem preparado pela escola, não precisa de cursinho. Ainda assim, os alunos sentem necessidade de estar melhor preparados para competir por uma vaga.

Apenas o suporte financeiro da família não é suficiente
Mesmo depois de concluir o Ensino Médio em um colégio particular, a primeira colocada em Medicina este ano na UFSM, Scheila Wendler, 20 anos, não dispensou o pré-vestibular. O cursinho foi pago pelos pais, com quem mora. Scheila diz que a preparação foi importante, mas ressalta que esforço pessoal e persistência são o segredo da aprovação.

- Quem trabalha enquanto está estudando tem maior dificuldade, mas tudo depende da força de vontade. Tenho um amigo que sempre trabalhou e hoje é meu colega - conta.

Com a pesquisa, o professor Cláudio Dutra pretende comparar o perfil dos estudantes da UFSM com o de outras universidades federais do Estado.

O que é a média harmônica
O cálculo mede o desempenho do candidato. Se ele obtiver nota equilibrada em todas as provas, a média será maior do que aquele que for muito bem numa e mal em outra

Fonte: Diário de Santa Maria
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.