text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Profissão chef

      
Mariana de Almeida Santos

Os brasileiros estão cada vez mais exigentes quando o assunto é gastronomia. A preferência por uma comida sofisticada e por bons serviços em restaurantes somada à absorção de valores europeus, a partir da década de 80 com a entrada de grandes chefs estrangeiros no Brasil, fez com que o mercado brasileiro se deparasse com um problema: até então, no país, não existia mão-de-obra qualificada para atuar nessa área, ao contrário de lugares como França, Estados Unidos e Austrália, que há mais de um século já contavam com uma longa tradição neste segmento. Concluindo que a gastronomia é uma profissão bem vista no exterior, foi com naturalidade que ela chegou ao Brasil nos anos 90 e, em 2001, ao Rio.

- Detectamos que existia uma demanda de olho na atividade de chefs afoitos por mais informações técnicas sobre gastronomia - lembra Claudia Fortes, diretora de relações profissionais da Escola de Gastronomia da Estâcio de Sá, a única carioca reconhecida pelo MEC (o período de duração do curso é de dois anos e meio).

Desenvolvida com base nas escolas internacionais, a grade da universidade, que hoje conta com mil alunos em curso, inclui aulas sobre técnicas básicas de gastronomia; elementos da nutrição; higiene dos alimentos; cozinhas de bistrô, asiática, brasileira e francesa; além de panificação e confeitaria, entre outras. No quadro de professores, renomados chefs, como Juan Bertoni, ex-chef de confeitaria dos hotéis Copacabana Palace e Sheraton Rio; e Alain Jacot, proprietário do extinto alemão Al München e membro da Associação Brasileira da Alta Gastronomia.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), foi o primeiro a instalar um curso de primeira linha no Brasil. De formação técnica (não conta com diploma de curso superior de terceiro grau), a escola oferece não só cursos, como o de chef de cozinha, como organiza festivais no Senac Bistrô, em Botafogo.

- A gastronomia é, hoje, mais valorizada no Brasil. Os chefs são cada vez mais reconhecidos e os altos salários também chamam a atenção - acredita Andrea Tinoco, consultora da área de gastronomia do Senac.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.