text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Fuvest está mais interdisciplinar

      
Um vestibular mais interdisciplinar, mais enxuto e mais palatável é o que o candidato deve encontrar no processo seletivo deste ano da Fuvest. A afirmação é da diretora-executiva da fundação, Maria Thereza Fraga Rocco.

A tendência já foi observada no ano passado. · época, o coordenador da Fuvest, Roberto Costa, admitiu que a prova estava mais interpretativa, com menos cálculos e semelhante ao Enem.

As mudanças foram elogiadas por professores de cursinho ouvidos pela reportagem. De acordo com Ernesto Birner, coordenador do Anglo, a Fuvest uniu a capacidade de interpretação exigida no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) com a cobrança de conhecimento. O Enem quer saber se o estudante sabe ler um texto, ver um gráfico, uma tabela. Se consegue, ele responde. Na Fuvest, eles pedem isso, mas exigem que o vestibulando tenha conhecimento específico sobre o assunto.

Para Edmilson Motta, coordenador de matemática do Etapa, as alterações mostram que há uma preocupação em não deixar que o exame fique viciado. Não tem como o candidato achar que vai criar um método de fazer a prova chutando e se sair bem.

Um ponto que há tempos vem sendo alardeado tanto por professores de escolas e cursinhos quanto pelos próprios organizadores do vestibular é que a decoreba não assegura bons resultados.

Queremos ver se o estudante consegue observar, refletir e interpretar. Mas sem abandonar a cobrança do conhecimento, afirma Maria Thereza.

Para conjugar com eficiência esses três verbos durante a prova, estar ciente de que teve uma preparação adequada e ter estendido o poder de manter-se concentrado durante um longo período auxiliam no desempenho.

O candidato tem de acreditar no taco dele. Saber que fez tudo o que poderia ter feito e, na hora do exame, estar focado, concentrado, afirma Birner.

A concentração, segundo ele, ajuda o candidato a não se perder em meio a tantos assuntos abordados no exame. Imagine que em cinco horas ele terá de resolver diversos temas. De mitocôndria para Machado de Assis. Daí para a Grécia. Segue para óptica.

Minimizar o emocional Os dias que antecedem um vestibular, ainda mais o maior do país, costumam despertar uma certa insegurança nos candidatos, afirmam os professores.

Segundo Birner, isso ocorre porque os estudantes tendem a maximizar o emocional e a minimizar o racional. ? preciso que ocorra o contrário.

Uma maneira de obter isso, explica Birner, é mentalizar uma nota de corte dez pontos acima do que a carreira escolhida teve no ano anterior. Assim, o candidato sabe que, se fizer 80, estará com um pé na faculdade. Sabe também que, se vai acertar 80, não precisa conhecer tudo o que vai cair na prova. Isso já ajuda a acalmar, explica.

Para ele, se o vestibulando começa a hipervalorizar o que não sabe, na hora da prova ele vai ter a impressão de que não sabe nada. Só quem não estudou não está nervoso. No entanto há meios de obter um controle sobre esse estresse antes da prova.

Na véspera do exame, a orientação é fugir ao máximo de abordar o assunto. O ideal é ter um dia normalzinho. Evitar excessos, diz Motta, do Etapa.

Ir ao cinema, ao teatro, fazer alguma atividade física que está habituado deixam o estudante desplugado da tensão que precede o vestibular.

Se fosse eu, ficaria o dia todo no cinema. Sairia de uma sessão e iria para outra pelos menos umas três vezes. Quando chegasse em casa, estaria tão cansado que dormiria tranqüilo, sem pensar em prova nenhuma, diz Birner.

Mesmo com as recomendações para que o vestibular seja esquecido na véspera, no sábado é importante que seja feita uma visita ao local onde será aplicada a prova. O estudante sabe que, se chegar atrasado, não entra, diz Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora de geografia do Objetivo.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.