text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Universidade terá cursos voltados para empresas

      
A Zona Oeste vai ganhar uma universidade pública com formação voltada para as tecnologias de empresas que estão se instalando no Estado, ou que estão em plena expansão. A apresentação formal dos novos cursos superiores de graduação do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) foi feita ontem pelo governo, no Centro Administrativo do Estado.

Os cursos são das áreas de Tecnologia em Gestão da Construção Naval e Embarcações Offshore, Tecnologia em Produção de Polímeros, Tecnologia em Produção Siderúrgica e de Tecnologia em Produção de Fármacos.

Os secretários estaduais de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, e de Ciência e Tecnologia, Wanderley de Souza, participaram da apresentação das grades curriculares junto com a diretoria da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Fãtec) e executivos dos setores.

A Uezo funcionará no prédio do Instituto de Educação Sarah Kubistchek, em Campo Grande, tornando-se a primeira instituição educacional do país a ter os cursos tecnológicos voltados para as necessidades das empresas.

Principalmente, as empresas que estão se instalando na área da zona oeste, Baixada Fluminense e regiões Sul e Norte fluminense. São projetos de peso como a construção da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), a expansão da siderúrgica Gerdau/Cosigua, o Pólo Gás-Químico e o crescimento dos setores naval e de apoio offshore, disse Victer.

220 vagas para o turno da manhã As inscrições para o vestibular da Uezo serão encerradas no próximo dia 28. Estão sendo oferecidas 440 vagas: 220 para o turno da manhã e 220 para o turno da noite. Os registros de habilitação profissional contarão com o apoio do Crea-RJ, já na primeira turma a ser formada, segundo adiantou o presidente do órgão, Reynaldo de Barros, presente no evento.

Os cursos, com carga horária de 3 mil horas e três anos de duração, num total de seis semestres, terão aulas teóricas e práticas, formação instrumental e prática empresarial. Atendendo diretamente às necessidades de mão-de-obra altamente especializada que as empresas que estão investindo no Estado necessitam, observou Victer.

O secretário citou como exemplo o curso de Tecnologia em Gestão da Construção Naval e Offshore, que terá Introdução à Indústria do Petróleo, Naval e Offshore, Arquitetura Naval, Modelos de Gestão (Comunicação Empresarial, Sistema de Gestão Integrada, Planejamento Estratégico de Gestão de Pessoas), Gestão de Projetos até às disciplinas de Oficina e Tecnologia Naval e Offshore, que serão aplicadas em convênios com as indústrias do setor.

Wanderley de Souza comentou que as turmas terão no máximo 30 alunos, facilitando o aprendizado. Ele destacou o papel primordial do convênio entre universidade e a iniciativa privada, que vai facilitar o ensino para os jovens daquela região e na ampliação da geração de empregos.

A universidade, afirmou, permitirá que todos os alunos, de todos os cursos, tenham formação instrumental (língua portuguesa, língua inglesa e informática) e de práticas empresariais e de empreendedorismo. Estamos visando a relação entre educação e desenvolvimento, acrescentou.

A Uezo foi criada este ano e ficará vinculada à Fãtec. Todos os cursos da universidade serão gratuitos e tiveram suas grades curriculares elaboradas em parceria com as empresas e entidades de classe que estão ligadas aos novos empreendimentos em curso no Estado.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.