text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Exame da federal do ABC será nos moldes do Enem

      
SIMONE HARNIK

Quem vai prestar vestibular para a novíssima UFABC, a universidade federal e gratuita instalada em Santo André, deve encarar uma primeira fase bem semelhante ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

A prova, aplicada pela primeira vez no meio do ano, terá 90 questões de múltipla escolha com cinco alternativas. "Queremos medir a capacidade de raciocínio e não o que foi decorado", afirma o reitor, Hermano Tavares.

A Fundação Vunesp, que realiza os processos seletivos das outras duas federais do Estado -Unifesp e UFSCar-, é quem vai elaborar e aplicar os exames. "Mas o aluno não deve se basear nesses outros vestibulares. Vai ser uma prova com questões interdisciplinares envolvendo os conteúdos básicos do ensino médio", afirma o diretor acadêmico da fundação, Fernando Prado.

O nível de dificuldade deverá ser mais baixo do que o dos vestibulares mais tradicionais. "A intenção é que seja uma prova fácil, e não assustadora. Queremos estimular os que já pararam de estudar", diz Prado.

Um incentivo para estudantes como Douglas Henrique de Souza, 19, morador de Santo André e que pretende estudar química no ensino superior. "Estou com uma expectativa boa. Moro em Santo André e já prestei Fuvest e Unicamp, que são vestibulares bem mais difíceis", conta.

Todo o clima entre os organizadores, os diretores da nova universidade e os candidatos é de experimentação.

"A UFABC nasceu com a proposta de ser inovadora. Se tem de fazer um vestibular diferente, o ideal é fazer com uma instituição que está nascendo. Daí, no ano que vem, nós calibramos a cobrança", explica Prado.

Além de ficar parecida com o Enem, a primeira fase poderá utilizar os pontos da prova do Ministério da Educação na composição de 20% da nota. Passam para a segunda fase os 6.000 candidatos mais bem colocados e que tiveram nota superior a 50% do total possível.

"Acho que vai dar para selecionar bem, porque o Enem cobra pensar no cotidiano, relacionar as coisas", opina Andrea Cristina do Carmo, 23, candidata que pretende, dentro da UFABC, optar por ciências de computação.

Já para a segunda fase, o formato muda e se aproxima dos de outros processos seletivos das universidades públicas. Serão 48 testes distribuídos em matemática, física, química e biologia, as matérias mais técnicas e relacionadas aos cursos da instituição. Destes, pelo menos oito serão multidisciplinares. Também será cobrada uma redação dissertativa que vai valer 12 pontos.

Cotas

Mas as inovações no vestibular não param por aí. A proposta da universidade é a de reservar metade das 1.500 vagas para estudantes oriundos do ensino médio da rede pública. Das 750 reservadas, 204 serão destinadas aos afrodescendentes e duas aos indígenas.

Ana Caroline dos Santos, 18, que fez o ensino médio em escola pública e vai se inscrever no vestibular para uma das vagas reservadas, não acha que a tarefa de conquistar a aprovação na UFABC será fácil.

"Estudo o dia inteiro, de manhã no cursinho, à tarde faço simulados ou fico em cima das apostilas em casa. Só vai ser aprovado quem acertar pelo menos metade da prova da primeira fase, então tem de saber a matéria", afirma.
ÿ
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.