text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

UNESP/Araraquara realiza debate na Semana do Meio Ambiente

      
A semana do Ambiente foi comemorada, na Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, campus de Ararquara, com a exibição de filme e debate, no dia 8 de junho. O evento teve inicio às 19 horas com a reprodução do filme "Boca de Lixo", do cineasta Eduardo Coutinho. Logo a seguir foi formada uma mesa de diálogo com o tema "Sociedade do Consumo - Sociedade do Lixo", tendo como debatedores o Professor Amadeu Logarezzi da Universidade Federal de São Carlos, Helena Francisco da Silva, Coordenadora da Associação Acácia dos Triadores de Materiais Recicláveis de Araraquara e Graziella Del Mônaco, representante da Incubadora Regional de Cooperativas Populares (INCOOP) da UFSCar, além da Professora Maria Cristina de Senzi Zancul, coordenadora do evento e docente do Departamento de Ciências da Educação.

O filme Boca de Lixo, em formato de documentário, foi gravado em 1992 no vasadouro de Itacoca em São Gonçalo, à 40 Km da cidade do Rio de Janeiro. O filme trata do cotidiano de dezenas de famílias que sobreviviam da coleta do lixo depositado no local. Através de entrevistas com os "catadores", o diretor foi expondo a situação em que vivem milhares de pessoas em condição semelhante, espalhadas por todo o país. As imagens mostravam o dia-a-dia das pessoas recolhendo restos recicláveis, restos de alimentos para animais domésticos e por vezes para consumo próprio, retirando dali literalmente sua sobrevivência.

Após a exibição do vídeo os debatedores fizeram suas colocações. A "catadora" de resíduos recicláveis Helena, coordenadora da cooperativa Acácia relatou que "com a criação da cooperativa na cidade de Araraquara, as pessoas não se concentram mais no aterro municipal, como ocorria anteriormente. Contudo, ainda existem espalhados pela cidade cerca de 800 ?catadores? de resíduos". Para ela um dos mais sérios problemas que ainda existe no tratamento do lixo é a existência de produtos tóxicos ou outros que possam contaminar o meio ambiente, como pilhas, baterias de celular, pneus, lâmpadas, entre outros que não são utilizados para reciclagem. "Seria necessário que se exigisse dos fabricantes destes produtos uma solução para seu destino final", arrematou a cooperada.

Para o Professor Amadeu, é de grande importância o papel exercido pelos coletores de resíduos recicláveis. "Em nossa sociedade parte das pessoas consomem cada vez mais, enquanto outra parte, que não pode consumir sobrevive à custa dos resíduos deste consumo, o lixo. E o interessante é que inconscientemente estas pessoas acabam exercendo um serviço a humanidade ao praticarem a reciclagem" destacou.

"Agora o mais importante é buscarmos um consumo mais responsável, temos que nos guiarmos pelo tripé dos erres - redução, reutilização e reciclagem" afirmou o professor, frisando que a porta para este caminho está na educação.

A professora Maria Cristina, coordenadora do evento, encerrou os trabalhos destacando a importância da transdisciplinariedade do mesmo, e da existência do dialogo entre acadêmicos e populares para o engrandecimento da universidade. Sobre a escolha do tema, a docente que ministra a disciplina Educação e Meio Ambiente para o curso de pedagogia resumiu "vemos muitos debates sobre a poluição causada pelo acumulo de lixo, mas poucas vezes este debate se estende para a questão do consumo, nossa proposta hoje foi exatamente esta", diz.

O público que se fez presente durante as quatro horas do evento aprovou a idéia do debate, que já havia ocorrido me 2005. "Acho muito importante este tipo de evento por nos fazer refletir acerca de coisas que estão presentes em nosso dia a dia e muitas vezes passam despercebidas" frisou o espectador Alexandre Ferrari.

Fonte:UNESP
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.