text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conheça o curso: Medicina

      
Tornar-se médico requer esforço e determinação. O curso de medicina, além de bastante concorrido no vestibular, é puxado e cansativo. Em média, o estudante que consegue ingressar na faculdade passa seis anos estudando em período integral e fica de dois a quatro anos em residência. O ofício vai muito além de diagnosticar doenças. ? o médico que vai pesquisar, tratar e prevenir disfunções e, para isso, deverá escolher os melhores procedimentos no combate às enfermidades.

O curso de graduação em medicina ensina ao universitário como funcionam os órgãos, sistemas e aparelhos do corpo humano. O estudante também aprende a responsabilidade de prescrever medicamentos e realizar cirurgias. Aluno do 10º semestre de medicina da Universidade de Brasília (UnB), Rubens de Freitas Ferreira, 24 anos, conta que o curso é trabalhoso. "A dedicação e responsabilidade são essenciais", adianta. A grade curricular abrange disciplinas como anatomia, fisiologia e patologia. Todas essas matérias são oferecidas em laboratórios.

O futuro médico poderá atuar em hospitais, clínicas, postos de saúde, empresas e consultorias em saúde. Outra área de atuação são os consultórios próprios. A coordenadora do curso de medicina da UnB, Celeste Aida Nogueira, explica que a graduação é só o começo. "Mesmo depois de formado, o médico tem que estudar e se reciclar. A tendência é que eles nunca parem de se atualizar", comenta. Ela elege a dermatologia e a geriatria como as duas especialidades promissoras nos tempos atuais. "Há muita procura nesses segmentos", justifica.

De acordo com Celeste Nogueira, o Programa Saúde da Família, do Ministério da Saúde, absorve boa parte dos alunos. "? um programa que atende a população em domicílio. O médico da família acompanha os pacientes de maneira sistemática e organizada", explica. Em Brasília, quatro instituições estão autorizadas pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC) a funcionar.

Polêmica

No fim do ano passado, uma iniciativa do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) causou polêmica. O conselho instituiu uma prova semelhante ao Exame Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para avaliar o desempenho dos médicos recém-formados. O corregedor do Conselho Federal de Medicina, Roberto D'ávila, considera necessário verificar a qualidade da formação dos estudantes. "Somos favoráveis a uma avaliação do ensino médico, pois detectamos muitas falhas nos cursos de graduação. Não há preocupação na formação humana do médico. Isso é um defeito de formação que precisa ser modificado", avalia D'ávila. Segundo o médico, a avaliação "visa coibir as falhas".

Porém, a aplicação do exame em todos os futuros médicos do país ainda está longe de acontecer. D'ávila explica que, para tanto, seria necessário a promulgação de uma lei. E, por enquanto, não há discussões nesse sentido.


SAIBA MAIS

Onde estudar

Universidade de Brasília (UnB) - www.unb.br

Universidade Católica de Brasília (UCB) - www.ucb.br

Escola Superior de Ciências da Saúde (ECSC) - www.fepecs.saude.df.gov.br

Faculdade de Medicina do Planalto Central (Fameplac) - www.uniplac.br

Salário médio inicial

R$ 1,8 mil

Para ser um bom médico é preciso?

Gostar de estudar, ter tempo e determinação
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.