text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Professor de cinema acha temerária qualquer especulação

      
O último vestibular da Ufba cobrou apenas uma questão envolvendo os filmes indicados pelo processo seletivo. Foi na segunda fase, quando se pediu aos candidatos para se fazer uma relação entre Cidade de Deus e o livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos.

Com a reformulação de 70% de sua lista, as chances de uma maior quantidade de perguntas sobre as obras aumentam e os estudantes tentam adivinhar qual delas tem mais chances de cair. Mas, na opinião do professor Abel Bittencourt, que ensina cinema em três cursinhos de Salvador, "ainda que alguns títulos apareçam como favoritos, é temerário fazer qualquer especulação".

"Os alunos precisam assistir a todos os filmes da relação, que são igualmente importantes e têm, em comum, a multiculturalidade". Segundo ele, através dos dez "pode-se fazer uma fascinante viagem interdisciplinar entre cultura, sociedade e a segunda arte de maior consumo do planeta. O objetivo maior em articular os filmes é oferecer um amplo olhar sobre a literatura, a história e o Brasil, considerando-se que o povo, políticos e muitos intelectuais do País estarão como personagens em cada filme".

Carência - Cineasta graduado na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) de São Paulo, Bittencourt reclama da preparação que os cursos preparatórios vêm oferecendo aos seus alunos: "A maioria deles não ensina o cinema em seus aspectos semióticos, desde a trasposição de uma linguagem verbal numa pespectiva escrita para o visual conjugado com o sonoro, a cor, a montagem e os enquadramentos, até o resultado final que é estabelecido pela recepção do espectador na sala de projeção".

Para ele, o cinema converteu até os mais céticos professores ao se afirmar como um produtor de discurso artisticamente tão importante quanto a própria literatura. E finaliza, discordando dos que acusam a adoção do audio-visual como prejudicial à leitura: "Vejo como o contrário. O objetivo é sobretudo estimular o espectador a procurar o livro. A Uesb (Universidade do Sudoeste da Bahia), em Vitória da Conquista, não adotou livros, mas três filmes no seu último vestibular, sabendo que a idéia não é substituir os livros, porém contemplar o código comtemporâneo dos jovens".

2010 - A nova relação de filmes da Ufba é válida para os dois próximos processos seletivos da instituição. E, segundo o diretor do Serviço de Seleção, Orientação e Avaliação (SSOA), Nelson Almeida, a lista para 2010 já foi solicitada ao Departamento de Letras Vernáculas. "Queremos divulgar o mais rápido possível para que a garotada do ensino médio tenha pelo menos três anos para ir se preparando".
  • Fonte:


Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.