text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Tendências e cenários no Brasil

      
Quem abriu a palestra deste primeiro dia do evento "Educação Corporativa", foi Marcos Baumgartner, diretor da Abec (Associação Brasileira de Educação Corporativa), com a palestra "Educação Corporativa: avaliação de tendências e cenários no Brasil e no mundo". Segundo Baumgartner, a Educação Corporativa já é um diferencial das empresas brasileiras no exterior, apesar de faltar no mercado profissionais com formação específica na área. Atualmente, a maioria deles são executivos das próprias empresas treinados para serem educadores dentro das mesmas, que, cada vez mais, estão estruturando centros de treinamento ou as chamadas "universidades corporativas".ÿ

Está aí, um nicho de carreira promissor. Não é a toa que essa é uma das metas da Abec em 2007: formar profissionais com este perfil. Mas, será que as IES também não poderiam pensar numa abordagem dessa dentro de seus cursos? A FIA/FEA/USP e Unicamp já enxergaram isso, tanto que promovem anualmente o Fórum Universidade Corporativa em parceria com a Revista T&D.

"? preciso desmistificar dentro das universidades o preconceito com relação ao meio corporativo, pois tanto a academia quanto as empresas podem ganhar com parcerias na elaboração de conteúdo específico", frisou Baumgartner.

Para os empresários, o diretor da Abec destacou como a criação de uma universidade corporativa pode sair barato se houver compartilhamento de recursos, principalmente de e-learning, que pode ser feito com fornecedores externos, como as universidades tradicionais. Ele citou pesquisa realizada pela revista norte-americana Fortune sobre as 500 maiores empresas dos Estados Unidos que mostrou os indicadores de como elas estão investindo na educação corporativa: de 2005 para 2006, o investimento por empregado cresceu de US$ 1.423 para US$ 1.435. O percentual de investimento do lucro em Educação Corporativa cresceu de 8,57% para 10,48%.ÿ

Como as empresas constatam a eficácia da Educação Corporativa? São considerados o número de empregados treinados, o tempo de disponibilização de uma iniciativa de aprendizagem, o tempo de prontidão (o funcionário está pronto para aplicar o que aprendeu), o tempo de desenvolvimento de conteúdos, os custos de viagem e estudo.ÿ
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.