text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Universidade Corporativa da Eletronorte foca em EAD

      
A área de competência da Eletronorte é geração e transporte de energia. A empresa está presente em 58% do território nacional e conta com 3.300 funcionários cuja média de idade é 49 anos. Uma empresa "velha", segundo definição de Marco Leite, gerente de Planejamento Educacional, mas que ainda assim conseguiu implantar em 2002 uma Universidade Corporativa baseada principalmente no Ensino a Distância, difundindo uma nova cultura para uma geração nada familizarizada com essa novíssima forma de aprendizagem.ÿ

"Quando entendemos que passamos da era da economia baseada na habilidade para a base no conhecimento, vimos a necessidade de investir na educação dos funcionários", explicou Leite. Segundo ele, se no tempo da valorização da habilidade - que se iniciou com a revolução industrial, quando foi necessário treinar os funcionários a mexerem em máquinas - as universidades se distanciavam muito das empresas, agora - na sociedade do conhecimento - acontece um movimento de reaproximação entre companhias e instituições de ensino. Na Ucel (Universidade Corporativa da Eletronorte), seus profissionais são treinados para serem tutores fazendo cursos de EAD na UnB (Universidade de Brasília) e na Universidade Católica de Brasília.

"As habilidades dos indivíduos deixaram de ser uma garantia para a sobrevivência da organização porque são facilmente treináveis. Nesse novo contexto, a garantia de sobrevivência está na competência dos funcionários, que quer dizer habilidade + conhecimento + atitude", afirmou Leite.ÿ

Histórico
Desde sua implantação em 2002, a Ucel já proporcionou 3.710 ações e 780.207 horas dedicadas à educação. Optou pelo ensino a distância por conta desse sistema de aprendizado facilitar flexibilidade de horário e local, alcançando funcionáriso de todo o Brasil. Infra-estrutura para isso é o que não falta na Eletronorte, que tem hojeÿ 0,93 micro por colaborador e 1/3 dos micros trocados a cada ano.ÿ

Inicialmente, a empresa alugou um sistema de EAD já existente de uma consultoria. Mas em 2005, passou a desenvolver um sistema próprio, que hoje atende às suas demandas e faz controle da gestão de aprendizagem dos alunos. Tem uma base de administração e gestão, estrutura, conteúdos, e o processo de aprendizagem é feito por tutores - profissionais da própria empresa - com base no que alunos buscam. Esbarrou, sim, com problemas ao longo do tempo, entre eles a diferença cultural das várias regiões do país. Os funcionários da região Norte do País, por exemplo, desistiam no meio do curso. Também enfrentaram dificuldades técnicas com a base em Brasília, que provocavam lentidão do sistema. Foi então que criaram os CELs (Centros de Estudo Local) com computadores, onde as pessoas iam exclusivamente fazer os cursos a distância, e tutores presentes para incentivar e auxiliar no uso das máquinas.Uma das estratégias também para incentivar os funcionários com mais de 49 anos foi criar cursos para os filhos dos funcionários nos CELs. Desta forma, os próprios filhos estimulavam os pais a comparecerem a utilizarem a máquina como meio de aprendizagem.ÿÿ
ÿ
A Ucel também promove, em seu portal, espaço para troca de conhecimentos, e tem um projeto de catalogação de todos os conhecimentos organizacionais.ÿ

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.