text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Mais de 1,3 mil pessoas vão a evento no Centro de Convenções da Unicamp

      
A Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Rede Anhangüera de Comunicação (RAC) e a Associação de Leitura do Brasil (ALB) realizaram ontem, no Centro de Convenções da Unicamp, o primeiro encontro do ano do Fórum Permanente de Desafios do Magistério. O evento ocorreu das 9h às 17h e contou com 1.320 participantes.

O tema A Leitura na Escola e iniciativas que visam a aumentar o hábito de ler foram valorizadas desde a abertura, que contou com a presença de Edgar de Decca, pró-reitor de graduação da Unicamp; Jorge Megid, diretor da Faculdade de Educação; Marcelo Pereira, editor-executivo da RAC; e Ezequiel Theodoro da Silva, presidente da ALB. Decca enfatizou a importância da recuperação da qualidade das escolas estaduais. Megid elogiou os docentes. Pereira destacou a função educativa do jornalismo. Já Silva enfatizou a importância do Fórum: "O que se vê é a universidade e a imprensa cumprindo seu papel na formação de leitores".

A primeira palestra do dia foi com Eliane Pszczol, coordenadora do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), que associa o hábito de ler à cidadania. Carlos Eduardo Oliveira Klébis é professor da rede pública em Campinas. Utilizando o quadro Mulher Lendo, de Picasso, ele abordou, na segunda palestra do dia, uma das funções da leitura: o pensar. Durante sua fala, também foram abordados obstáculos com os quais educadores e estudantes deparam, como bibliotecas fechadas ou utilizadas para outros fins.

No período da tarde, Ariane Soares Milagres, do Instituto Dom Nery, abordou a importância da participação dos alunos no projeto Correio Escola, da RAC, que levou à criação de um jornal na entidade. Cláudia Lucia Trevisan abordou o Programa Linguagens e Educação, da Secretaria de Educação de Campinas, que propõe a leitura e a utilização de várias mídias, inclusive a produção de programas de rádio. Daniela Cristina de Carvalho, da Diretoria de Ensino Leste, expôs o Projeto Correspondência, desenvolvido com alunos de classes de recuperação na 8¦ série. Encerrando as atividades, a bibliotecária do Colégio Rio Branco, Miriam Alves, taxou a biblioteca de "a bela adormecida da escola". Para acordá-la, apontou atividades como encontro com autores e saraus de poesia.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.