text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Aluno aprende como ser empreendedor

      
Mudar o perfil dos graduados da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é o principal objetivo do novo curso chamado Formação Complementar em Empreendedorismo e Inovação Tecnológica.

Essa graduação está em funcionamento desde o início deste semestre letivo e é destinada apenas ao aluno que já estuda na instituição, sendo ele de que área for.

A proposta dessa graduação, segundo o professor do departamento de química Rochel Lago, um dos idealizadores do curso, é desenvolver o lado empreendedor do aluno, que costuma sair da universidade com uma mentalidade de ser funcionário de uma empresa e não o dono de seu próprio negócio.

"O pensamento que prevalece entre os graduados é de sair da universidade e arrumar um emprego, de ser empregado. Queremos mudar essa cultura, oferecendo instrumentos para que o estudante se torne um empreendedor, um empresário. Antes, tínhamos matérias da área de empreendedorismo espalhadas pelas várias graduações que oferecemos. A partir deste ano, juntamos todas as disciplinas e organizamos um único curso, o que estimulará mais o lado arrojado dos alunos", explicou Lago.

O professor disse também que mesmo que esse estudante não abra uma empresa ao deixar o universo acadêmico, o conhecimento adquirido nesse novo curso lhe servirá como subsídio para se tornar um profissional mais ágil e completo.

O que, na visão do professor, lhe proporcionará uma maior valorização no mercado de trabalho. Foi pensando nisso que o estudante Thiago Souza Amaral, 21, do sexto período de engenharia de produção, começou a frequentar as aulas de empreendedorismo tecnológico.

"Penso que esse curso pode me proporcionar outras opções de carreira, mesmo fora da engenharia de produção", afirmou.

Grade
O curso é oferecido em um conjunto de seis disciplinas optativas. De acordo com Lago, o estudante interessado frequentará duas graduações paralelamente - a que ele prestou vestibular e a outra do curso de empreendedorismo. "O novo curso poderá ser concluído no mínimo em três semestres e no máximo em seis."

Thiago Amaral disse que conseguiu conciliar os dois cursos. Mas, segundo ele, isso só está sendo possível porque ele não está fazendo estágio. "Se, por acaso, no semestre que vem eu conseguir um trabalho, terei problemas de horário, pois o curso de engenharia de produção é no turno da manhã e o outro é à tarde", contou.

Processo de incubação recebe inscrições

Pesquisadores, professores, alunos, empreendedores e profissionais de diversas áreas, que tenham uma empresa ou projeto de base tecnológica, podem concorrer a uma vaga no processo de incubação e pré-incubação da Inova- UFMG.

As inscrições ficarão abertas até o dia 20 de abril e podem concorrer pessoas da universidade e da comunidade em geral. Segundo o coordenador do Inova-UFMG, Rochel Lago, a incubação tem o objetivo de ajudar as empresas iniciantes a desenvolverem seus produtos e serviços na área de inovações tecnológicas.

"Damos suporte aos novos empreendedores para que eles se fortaleçam antes de entrar no mercado de trabalho." Eloísa Saliba, criadora da empresa de biotecnologia veterinária chamada P2S2, termina o processo de incubação em junho deste ano.

A empresa dela iniciou o trabalho com a Inova-UFMG em junho de 2005 e o próximo passo, segundo ela, é entrar no mercado sozinha. "Aprendi a ser uma empreendedora e espero vencer no mercado." O edital e o formulário para inscrição já estão disponíveis no site www.inova.ufmg.br.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.