text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Programa orienta alunos sobre profissão

      
A cada ano, no Brasil, cerca de 40% dos estudantes de ensino superior desistem de dar continuidade ao curso que escolheram no vestibular. A estimativa é do Ministério da Educação (MEC), que atribui tal situação ao despreparo e inexperiência dos jovens que têm que escolher uma profissão muito cedo.

Para evitar a decepção com a opção feita, o Centro Universitário Newton Paiva implanta há três anos o Programa de Orientação e Desenvolvimento Profissional (PODP).

A função desse programa, de acordo com a gerente do Centro Integrado de Orientação Profissional da Newton Paiva, Nívia Tameirão, é fazer com que o aluno conheça o curso escolhido e o mercado de trabalho correspondente.

"Essa é uma estratégia de retenção do aluno, mas também uma forma de apresentar características da profissão para quem não tem o conhecimento prévio. Hoje em dia, muitos alunos não têm critério para escolher uma profissão", afirmou.

O PODP funciona durante todos os períodos da graduação. A cada semestre, uma atividade pontual é feita dentro de sala de aula, com profissionais e professores da área. Nívia explica que no primeiro semestre o aluno vai descobrir as possibilidades de atuação em sua futura profissão.

No segundo, o momento é de estabelecer objetivos e metas para a carreira. Daí por diante, o foco do programa se volta para as habilidades exigidas pelo mercado. A estudante Luciméia Pires Murta, 29, é o exemplo de quem não sabia o que queria no momento do vestibular.

Ela optou por comércio exterior, cursou seis períodos (três anos) e depois largou o curso. "Escolhi comércio exterior porque já trabalhava na área e não porque tinha vontade de fazer o curso." Depois de criar coragem para mudar, Luciméia prestou outro vestibular e hoje cursa o sétimo período de jornalismo.

"Tem que ter muita coragem para largar tudo e começar do zero. Foram três anos de investimento de dinheiro e de tempo, mas me sinto mais feliz nessa segunda tentativa", afirmou.

Autoconhecimento ajuda a acertar a escolha

A falta do autoconhecimento, segundo a psicóloga educacional Mônica Sant?ana Nascimento, é um dos principais motivos que levam os estudantes a cometerem erros na hora da escolha de um curso de graduação.

Em seus 20 anos de orientação vocacional e profissional para alunos do ensino médio, ela observa que os jovens perderam o pensamento individual e seguem uma tendência coletiva.

"Eles (jovens) vivem em grupos e seguem tendências que muitas vezes não têm nada a ver com o que eles são. A definição de seus valores pessoais é quase nula e isso dificulta a escolha da profissão", afirmou.

Daniele Bastos, 22, prestou o primeiro vestibular para engenharia de telecomunicações. "Optei pelo curso por ter uma família repleta de engenheiros." Depois de dois semestres, Daniele tentou entrar na faculdade de design de moda. "Comprei uma briga grande dentro de casa, mas já está tudo resolvido."
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.