text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Silval Barbosa quer implantar pólo da UFMT no Nortão

      
Mato Grosso poderá contar, nos próximos anos, com um novo pólo da Universidade Federal (UFMT), no nortão do Estado. A proposta foi levada pelo governador em exercício, Silval Barbosa, em audiência ontem (04) à tarde, com o ministro da Educação, Fernando Haddad.
Acompanhado do secretário de Estado de Educação, Luiz Antonio Pagot, o governador Silval expôs ao ministro que o investimento em novo pólo de educação superior beneficiará seis municípios do extremo norte, com uma população de cerca de 120 mil habitantes.

O ministro 'topou' a parceria proposta por Silval Barbosa, com a preocupação de saber da questão do espaço físico, o que o governador disse não ser problema, já que, em Matupá, por exemplo, existe o complexo de uma escola municipal agrícola que poderá abrigar o pólo de ensino.

Fernando Haddad sugeriu, então, que enquanto não se viabiliza a implantação do pólo, o governo federal poderá, a princípio, levar à região o curso de educação superior à distância.

O deputado federal Carlos Bezerra (PMDB), ao tomar conhecimento da proposta do governador Silval, afirmou que trabalhará no sentido de alocar recursos para o investimento. O deputado ressaltou que o desenvolvimento de uma região só acontece ao caminhar junto com investimentos no setor educacional

Parceria

O secretário Pagot relatou ao ministro o trabalho que vem sendo executado pelo governador Blairo Maggi no setor educacional, mas disse que muito ainda precisa ser feito para o fortalecimento do setor.

Entre as dificuldades apontadas pelo secretário, estão a educação indígena, rural, dos quilombolas, além da questão do transporte escolar ainda carente, diante das dificuldades dos municípios.

Silval Barbosa e Antonio Pagot querem que o Ministério da Educação participe com o governo do Estado na construção de cem escolas rurais e outras cem indígenas, com um investimento de R$ 70 milhões.

Fernando Haddad considerou 'viável' a proposta de parceria, diante da preocupação do governo federal com a questão educacional nos assentamentos e fronteiras agrícolas. Só em Mato Grosso, expôs Silval, existem 600 assentamentos sem escolas e nenhuma outra infra-estrutura.

Em seguida à audiência no Ministério da Educação, o governador Silval Barbosa, os secretários Antonio Pagot, de Administração, Geraldo de Vitto, o reitor da UFMT, Paulo Speller, e o deputado Adalto de Freitas Daltinho participaram de uma audiência com o presidente da Funai, Márcio Augusto Freitas de Meira.

A comitiva buscou a parceria da Funai em infra-estrutura para construção de escolas indígenas, além de participar com o aperfeiçoamento da formação continuada de professores indígenas.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.