text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Pesquisa a ser divulgada

      
A USP, a UNB (Universidade de Brasília) e a deputada Maria Lúcia Amary acabam de divulgar pesquisa científica sobre o perigo de misturar certos medicamentos. No Brasil, país que é um dos primeiros do mundo em automedicação, provavelmente o campeão nesse setor, é fundamental que as pessoas levem a sério o alerta.

Segundo a pesquisa, alguns remédios não podem ser misturados de forma alguma. Tomar remédio para enjôo e em seguida usar descongestionante nasal acelera o coração, podendo levar à parada cardíaca. E há quem tome esses remédios associados sem o mínimo cuidado e sem noção do risco.

Usar anticoncepcional e antibiótico reduz a eficácia do anticoncepcional. Mulheres que reclamam que ficaram grávidas, apesar de estarem usando anticoncepcional, talvez encontrem nesse fato a provável explicação.

Antibióticos com medicamentos para combater azia podem reduzir em até 70% a ação dos antibióticos. São componentes muito fortes agindo entre si e se combatendo numa guerra química dentro de nós. Que horror. Imagine vários remédios na nossa circulação sangüínea trabalhando, cada um com os seus componentes.

Antiinflamatório com diurético inibe o efeito do diurético. Já li também que alguns antiinflamatórios podem causar sérios problemas cardíacos. Conheço quem tome antiinflamatório diariamente, faça chuva, faça sol.

A pesquisa também refere-se a remédios que não podem ser misturados com outras substâncias. ácido acetilsalicílico(Aspirina) com chá de camomila pode provocar pequenas hemorragias. Eu já não posso tomar aspirina sozinha,
que me provoca inchaço principalmente nos lábios.

Vermífugo mais álcool podem provocar convulsões. Há pouco tempo escrevi que, nas danceterias de Londres, a grande onda agora é tomar vermífugo com álcool para ficar "ligadão". Eu completo: que programão de tontão.

Remédio para pressão alta com suco de laranja diminui em 50% a eficácia do medicamento. E misturar eva-de-são-joão com qualquer remédio pode diminuir em até 60% a eficácia do remédio associado a ela.

Conheço quem tome de uma vez de doze a vinte complementos alimentares (pílula de berinjela, mais alcachofra, alho, tomate, etc, etc) provocando no organismo uma mistura um tanto sinistra. ? melhor comer na salada essas delícias. Trocar coração de alcachofra por pílula de alcachofra eu considero uma escolha um tanto estranha.

Tomo remédio só quando preciso e quando o médico me receita, assim mesmo com muito cuidado. Já existem os adoradores de remédio que deixam a indústria farmacêutica cada vez mais feliz e mais rica. Com remédio não se brinca. Mal utilizado, é uma arma com poder de destruição inimaginável.

Há pesquisas sobre pessoas que morreram vítimas de remédios. E um dos principais motivos é o uso indiscriminado.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.