text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

? possível curtir festas e amigos e manter ritmo de estudo, basta organizar-se, diz psicólogos

      
?poca em que os hormônios estão borbu-lhando, quando os ado-lescentes só pensam em festas, amizades, baladas e namoro, chega o vestibular para bagunçar a agenda social dos estudantes. Lá pelos seus 18 anos, o que eles mais querem é se divertir, e não passar horas sentados em uma cadeira debruçados sobre os livros enquanto a vida acontece lá fora. Mas não tem jeito, seja por motivos culturais, eles precisam dedicar-se, escolher uma profissão rapidamente e abdicar das melhores coisas da vida por, no mínimo, um ano. Como fazer então? Conciliar vida noturna e estudos driblando o cansaço e a vontade de chegar altas horas da madrugada em casa não é tarefa fácil, mas possível, segundo psicólogos que trabalham na área.

Não há motivo para desespero, segundo a psicóloga e orientadora profissional Elóide Alves de Aquino Botelho. "Basta planejar, saber dosar cada atividade para não estressar e, ao mesmo tempo, conseguir atingir o principal objetivo, que é ingressar na universidade." Há quatro anos na área, Elóide percebe que, primeiro, o aluno precisa conscientizar-se das metas que ele pretende atingir e, a partir daí, montar sua agenda pessoal de vida, ou melhor, uma agenda de trabalho inteligente. Isso engloba estudo e lazer, afirma a psicóloga. Para ela, descanso é um dos principais elementos para organização mental, emocional e física, já que o ritmo nessa fase é acelerado e a própria realidade gera ansiedade e estresse naturais.

"O pré-vestibulando precisa conscientizar-se de que ele não pode gastar toda energia no lazer ou apenas nos estudos. Ele deve conciliar as duas coisas", ressalta. Os programas recomendados são assistir a um filme no cinema, fazer caminhada, encontrar os amigos e até namorar, mas, claro, se for um relacionamento saudável, e não conflituoso. Qualquer tipo de passeio, atividade física ou até momentos em família estão incluídos na lista do lazer. Deixar de cultivar o descanso pode ser muito perigoso, de acorco com Elóide. A presença da família e da escola é importante nesse período, ressalta a psicóloga. Isso porque o estudante precisa saber gerenciar a si mesmo e conta com a ajuda da escola para sua formação integral, e não apenas para passar no vestibular.

Para a psicóloga e mestre em psicologia social e do trabalho pela Universidade de Brasília (UNB), Larissa Medeiros, o maior problema é quando o aluno resolve sair em um sábado à noite, por exemplo, mas não se desliga dos estudos. "Ele se sente culpado por estar se divertindo e pensa nas horas que está perdendo. Isso não pode acontecer porque gera um estado de ansiedade maior e perde o sentido da atividade, que é relaxar." Cada um deve encontrar um ritmo próprio, diz ela. Se o adolescente gosta de uma balada mais pesada, não tem problema na visão da especialista. Ele só precisa ter consciência de que os excessos é que não podem acontecer.

A sugestão de Larissa é que os estudantes escolham programas com hora marcada, como filmes ou até a leitura prazerosa de um bom livro. "Ler por prazer é, ao mesmo tempo, relaxante e enriquece culturalmente". Se a idéia é estudar no dia seguinte, mesmo sendo um domingo, o ideal é encontrar os amigos para curtir um bom violão, jogos de tabuleiros e atividades mais leves. "O importante é equilibrar ansiedade."
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.