text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Nova suspeita envolve candidato a professor da USP

      
Juiz que concorre a cargo de titular de direito penal é acusado de plagiar artigo e, agora, tese

Emilio Sant'Anna

A confusão na escolha do novo professor titular de direito penal da Faculdade de Direito da USP parece longe de terminar. Uma representação entregue na sexta-feira à instituição contra o juiz e professor da PUC Marco Antônio Marques da Silva - um dos dois concorrentes - levanta um suposto plágio em sua tese de doutorado Juizados Especiais Criminais.

? a segunda acusação em menos de um mês. No dia 28 de março, o Estado publicou outra denúncia de irregularidade em parte de seu trabalho entregue à faculdade. Na ocasião, foram contestadas 13 páginas de um artigo de 1997 do professor da PUC.

De acordo com a nova representação, o trabalho de doutorado de Silva, também de 1997, tem aproximadamente cinco páginas copiadas ipsis litteris do autor espanhol Hernan Hormazábal Malarée, sem qualquer referência a ele nessas "citações". O plágio incluiria até mesmo as referências bibliográficas do trabalho original.

"Isso é um problema sério. Na USP o título de doutor dele poderia até mesmo ser cassado", diz o professor da USP David Teixeira de Azevedo, autor das duas denúncias.

Azevedo vai além e aponta também o fato das citações na obra de Silva serem de autores alemães. De acordo com o seu currículo disponível na internet, no entanto, o professor da PUC não fala alemão. "Isso traz desconfiança em toda sua produção acadêmica", diz.

A situação de Silva aguarda um parecer da professora Maria Sylvia Zanella Di Pietro, relatora do caso, para ser analisado pela congregação da faculdade.

Procurado pela reportagem, Silva respondeu por escrito que não há qualquer irregularidade em seu trabalho.

Ele recorre às normas de metodologia para argumentar que a paráfrase é utilizada nos trabalhos científicos para resumir a idéia do autor original. Com relação ao fato de não falar alemão, esclarece que sua mulher estudou em um colégio onde o ensino da língua era obrigatório.

O diretor Faculdade de Direito da USP, João Grandino Rodas, só se manifestará depois que a congregação chegar a uma conclusão.


SEMELHAN€AS

Original de Malarée: "Si en Karl Binding el positivismo está reducido a aspectos puramente normativos, en Franz von Liszt se iba a expressar en forma integral (1905a; s/f) al tratar el fenómeno delictual no sólo como um problema normativo, sino también como un problema de todas las demás ciencias que se ocupan del delito y del delincuente, proponiendo lo que el llama 'die gesamte Strafrechtswissenschaft'. No obstante, von ..."

Texto de Silva: "Se em Karl Binding o positivismo está reduzido a aspectos puramente normativos, em Franz von Liszt ele se expressa em forma integral ao tratar o fenômeno delitual não somente como um problema de todas as demais ciências que se ocupam do delito e do delinqüente. Inobstante isso, von Liszt sempre reafirmou a independência do direito penal e seu estrito fundamento normativo ..."
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.