text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Estudo sobre produção de energia

      
O aterro sanitário de Caucaia poderá produzir energia. Um estudo iniciado em 2006 pelos departamentos de engenharia mecânica e química da Universidade Federal do Ceará (UFC), com financiamento da Petrobras, avalia a possibilidade de beneficiamento energético dos gases formados pela decomposição do lixo no Asmoc, dentre eles, metano e dióxido de carbono (CO2).

Os pesquisadores analisaram a capacidade de produção de biogás dos cerca de 120 drenos do aterro, medindo vazão e concentração de gases. "Existem alguns poços que podem ser usados por até 70, 80 anos", explica um dos coordenadores do estudo, William Barcellos, do departamento de engenharia mecânica. Em virtude do contrato com a Petrobras, ele não pode divulgar dados sobre a quantidade de energia que poderá ser produzida. O projeto, que ainda não tem data para início do beneficiamento, contribuirá para diminuição do efeito estufa, já que estima-se que 10% das emissões de carbono que chegam à atmosfera sãm dos aterros.

Projeto semelhante já existe no aterro Bandeirantes, em São Paulo, em que um consórcio entre o Unibanco, a Biogás Energia Ambiental e a Eletropaulo construiu, em 2003, a Usina Termoelétrica Bandeirantes, a maior do mundo em beneficiamento de energia a partir de metano. São produzidos 170 mil megawatts por hora, suficiente para abastecer 200 mil pessoas.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.