text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Cobertura da XIX Reunião Anual do FAUBAI

      

Especial Bolonha

Especial China

Ameaça Estrangeira

Aula multicultural


Nesta sexta-feira, último dia da XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais), que acontece em Curitiba - Paraná, está sendo discutida a formação de espaços regionais de cooperação entre os países. Ao longo do dia, representantes de diferentes regiões do mundo irão debater como é possível estabelecer espaços de fomento à mobilidade acadêmica e promover a internacionalização de suas regiões.

Os espaços estão assim divididos:

  • Espaço Sul-Americano e Ibero-Americano

  • Espaço Europeu

  • Espaço áfrica e Inter-Americano

  • Espaço ásia e Oceania

    Conforme as palestras forem sendo realizadas serão disponibilizados links sobre os respectivos títulos dos Espaços de Cooperação. Assim, será possível conferir separadamente cada uma das discussões.

  • Como enviar estudantes brasileiros para os EUA?
  • Casos bem-sucedidos de cooperação internacional nas universidades e de escritórios internacionais que podem ajudar as IES a fomentar a mobilidade estudantil dando um passo à frente rumo a internacionalização foram os destaques da segunda palestra desta quinta-feira realizada na XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais), em Curitiba - Paraná.

    Além da palestra ministrada pelo assessor de relações internacionais da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Antonio Carlos Gondim, explicando como é feito o trabalho de cooperação internacional na instituição e de uma apresentação do CEPRI (Conselho Técnico-Científico do Centro Paranãnse de Relações Internacionais), ministrada por René Berardi, houve uma explicação do trabalho feito pelo escritório internacional Education USA, representado pela orientadora para estudos nos Estados Unidos, Areta Gallat, como um dos destaques. Clique para ler a matéria na íntegra

  • CampusFrance realiza caravana França-Brasil
  • O CampusFrance, agência de promoção do Ensino Superior francês vinculada à Embaixada da França e coordenada pelo Cendotec, organiza a Caravana França-Brasil: um fórum itinerante sobre estudos na França e Cooperação Universitária.

    Em Porto Alegre, Curitiba e São Paulo, instituições francesas de Ensino Superior participarão de salões para estudantes e de encontros acadêmicos. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Parceria Brasil-Chile
  • A cada ano, cresce o número de estudantes estrangeiros interessados em fazer um intercâmbio no Brasil. Embora, na maioria das vezes, sejam atraídos pela cidade do Rio de Janeiro, devido a sua imagem no exterior, é inegável que o interesse por nossa cultura está em franca expansão.

    Não são apenas os jovens, porém, que têm demonstrado interesse no Brasil. Nações como os Estados Unidos, cujo número de estudantes estrangeiros vindos de nosso país é bastante expressivo. Além disso, países da própria América Latina têm tido interesse em estabelecer acordos internacionais de cooperação. O Chile é um destes exemplos.

    O diretor de relações internacionais da Universidad Mayor, no Chile, René Lara, disse que o interesse dos chilenos no Brasil é muito grande, pois acompanham e percebem o crescimento do nosso país, além de seus desdobramentos internacionais. Segundo Lara, é imenso o potencial de parcerias como entre Brasil e Chile não só para o crescimento de ambos, como também para o desenvolvimento da América Latina. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Gestão das atividades internacionais nas IES
  • Representantes de instituições estrangeiras estiveram presentes na manhã desta quinta-feira durante a XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais) em Curitiba - Paraná, para destacar como trabalham com mobilidade estudantil e cooperação internacional. Três experiências de destaque explanadas durante a palestra foram os casos da Universidade Mayor, no Chile, Universidade de Madrid, na Espanha, e Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

    O diretor de relações internacionais da Universidad Mayor, René Lara, explicou como a universidade atua ao receber alunos estrangeiros, desde a acolhida de tais estudantes até a transferência de crédito ao término do curso. Ele destacou ainda que sua universidade se preocupa com a interação dos estudantes estrangeiros com a comunidade chilena, lembrando que a imersão cultural destes jovens se faz extremamente importante. Clique para ler a matéria na íntegra

  • A esperança da Universidade do Mercosul
  • Enquanto o Brasil ainda não está preparado para uma internacionalização tal e qual a Europa pretende instaurar na região com o Tratado de Bolonha, o país busca alternativas de cooperação a fim de consolidar a Educação Superior brasileira em outros países. Além disso, também fecha acordos para que outras nações que compõem a América Latina possam crescer e se fortalecer contribuindo para o desenvolvimento da região.

    Para especialistas, este é o principal motivo que leva Brasil e países vizinhos como Argentina, Uruguai e Chile a discutir e pleitear a criação da Universidade do Mercosul. Segundo o assessor de Relações Internacionais do MEC (Ministério da Educação), Alessandro Candeas, as nações que compõem o bloco econômico do Mercosul entenderam a necessidade de integrar os países a fim de se fortalecer. Para atingir tal objetivo, perceberam que mais do que a integração econômica é faz fundamental apostar e investir em uma interação educacional entre os países. Daí as discussões para o estabelecimento de uma unidade de ensino que atenda as necessidades do bloco econômico.

    "Diferente do que aconteceu na Europa - cuja integração do bloco resultou de uma movimentação envolvendo a economia - queremos fortalecer as relações educacionais para que nossa cooperação comercial se consolide de maneira mais integrada e completa para os povos da região", disse. Clique para ler a matéria na íntegra

    Agências internacionais e intercâmbio acadêmico

    Representantes de países como Estados Unidos, Alemanha, França, Espanha e, também, do Reino Unido, estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira durante a palestra "O papel das agências internacionais na cooperação para o desenvolvimento e para o intercâmbio acadêmico" realizada na XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais) que acontece em Curitiba - Paraná.

    O foco da palestra foi mostrar aos assessores dos departamentos de relações internacionais das universidades como trabalham as agências de cooperação internacional de cada um dos países. Em uma apresentação objetiva, o diretor da comissão Fulbright, Luiz Valcov Loureiro, apontou os principais programas de intercâmbio coordenados pela agência e destacou o novo projeto de cooperação entre Brasil e Estados Unidos que oferece a oportunidade para estudantes de cursos tecnólogos do Brasil de estudar no exterior em Community Colleges. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Agências brasileiras e a internacionalização
  • As agências brasileiras de fomento à pesquisa tiveram espaço reservado para expor os projetos de cooperação internacional bem-sucedidos no início da tarde desta quarta-feira durante a XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais) realizada em Curitiba - Paraná.

    CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) apresentaram seus projetos em colaboração com países norte-americanos, europeus, latino-americanos e das demais regiões do globo. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Contribuição dos Ministérios para a internacionalização
  • Discorrer sobre a importância do trabalho dos órgãos do governo a favor da internacionalização das universidades brasileiras foi o tema central da palestra "Contribuição dos Ministérios para a internacionalização das universidades brasileiras" realizada na manhã desta quarta-feira na XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais) que acontece em Curitiba, Paraná.

    O diretor da Agência Brasileira de Cooperação do Itamaraty, Luiz Henrique Pereira da Fonseca, destacou a importância dos acordos de cooperação Sul/Sul citando o potencial de países vizinhos ao Brasil para o desenvolvimento econômico da América Latina. Ele destacou que, nos últimos cinco anos, os acordos entre tais países com o Brasil cresceram substancialmente, o que comprova o potencial e o interesse do Brasil e de nossos vizinhos em fomentar o intercâmbio na América Latina. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Novas perspectivas para a inserção internacional
  • Não basta enviar estudantes para o exterior sem planejamento para o aproveitamento do aprendizado obtido fora do país, tampouco, receber estudantes no Brasil sem garantir que eles tenham um ganho real em termos de conhecimento e profissionalização. O conceito de reciprocidade entre os países foi o denominador comum no discurso de especialistas presentes na palestra "Novas perspectivas para inserção internacional" realizada na manhã desta quarta-feira na XIX Reunião Anual do FAUBAI (Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais), em Curitiba.

    Com o processo de globalização acelerado, os países estão em uma corrida para estabelecer cooperação a fim de promover a seus alunos, docentes e pesquisadores oportunidades para o crescimento profissional que se transforme em ganho para o país. O vice-reitor do CRUB (Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras), Mário Luiz Neves de Azevedo, citou o Tratado de Bolonha como exemplo. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Relações Internacionais e o papel das IES
  • Cada vez mais o Brasil desponta para o cenário internacional como um país promissor. Haja vista o papel significativo alcançado nos últimos anos no que diz respeito à produção científica brasileira. Com 16 mil papers publicados no ano de 2005, estamos à frente de nações como Bélgica e Noruega, impondo respeito com nossa ciência. Para o assessor de Relações Internacionais do MEC (Ministério da Educação), Alessandro Candeas, são estes números favoráveis que devem servir como incentivo para que os representantes das universidades brasileiras se mostrem profundamente comprometidos em contribuir para este avanço.

    Durante sua palestra, realizada na noite desta segunda-feira, 17 de abril, na XIX Reunião Anual do FAUBAI que acontece em Curitiba - Paraná, Candeas destacou que embora a produção científica apresente resultados positivos, como um crescimento quatro vezes maior do que a média mundial, a comunidade acadêmica e científica não deve se acomodar diante destes dados. "Hoje, formamos cerca de 10 mil doutores por ano, número expressivo, mas que ainda é insuficiente. Nossa meta para 2009 é formar 16 mil. Além disso, devemos nos pautar não pela média de crescimento mundial, mas pelo crescimento de países que, hoje, são os líderes no ranking de produção científica", ressalta. Clique para ler a matéria na íntegra

  • Abertura da XIX Reunião Anual do FAUBAI
  • Com 19 anos de experiência no intercâmbio acadêmico internacional, o FAUBAI é saudado e tratado nesta XIX Reunião Anual, que acontece em Curitiba entre os dias 17 e 20 de abril, como um dos pilares de sustentação da cooperação internacional existente entre Brasil e outras nações. Isto porque dá apoio para que fundações e agências brasileiras que trabalham em prol da cooperação educacional e científica possam estreitar relações com outros países, além de estabelecer por si só, parcerias de sucesso.

    As falas dos palestrantes que compuseram a mesa para a solenidade de abertura do evento, realizado no Hotel Alta Reggia, destacaram o compromisso que o FAUBAI assumiu ao representar o interesse da internacionalização do Ensino Superior por parte das universidades, e mais, preocupando-se não só em estabelecer acordos, mas parcerias que trouxessem benefícios para ambos os países envolvidos na cooperação.

    O coordenador do evento, assessor de relações internacionais da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e vice-presidente do FAUBAI, Antonio Carlos Gondim, alegrou-se em dizer que, hoje, o FAUBAI é o grande interlocutor das universidades na questão da cooperação internacional em um momento extremamente favorável que o Brasil desponta para o mundo como um país em potencial para o intercâmbio do conhecimento. Clique para ler a matéria na íntegra

    • Fonte:

    Tags:

    Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.