text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Museu de arte da USP vai ocupar o prédio do Detran

      
Secretaria de Estado da Cultura de SP diz que MAC tomará lugar do departamento de trânsito, que vai para o centro

Secretário João Sayad divulgou também a criação do Museu da História de São Paulo, em uma fábrica desativada na Radial Leste

LAURA MATTOS

O Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC) vai ocupar o prédio do Detran, no Ibirapuera, de acordo com João Sayad, secretário estadual da Cultura de São Paulo. Já o Departamento Estadual de Trânsito será transferido para dois prédios do Banespa (r. Boa Vista e João Brícola), no centro da cidade.
"O prédio do Detran é muito bonito, aos meus olhos bem adequado ao museu. Tem um pé-direito razoável e, só na área térrea, são uns 25 mil m2, fora um pavilhão gigantesco atrás. Tudo com uma ocupação desordenada e incompatível com o valor do lugar", disse Sayad.
"Com o MAC, o local torna-se quase uma extensão do parque Ibirapuera, onde estão a Bienal, o museu Afro-Brasileiro, o MAM, a Oca. Isso será bom para as artes plásticas brasileiras, para o Ibirapuera. Não sei por que não se teve essa idéia antes. Hoje a gente se pergunta o que o Detran estava fazendo lá, numa área tão nobre da cidade", falou o secretário.
Segundo Sayad, o acordo para a mudança do Detran deve ser fechado em maio, mas a transferência do órgão e a inauguração do novo MAC devem demorar cerca de três anos. Com a ida para o prédio do Detran, o MAC deixará a unidade no anexo do pavilhão da Bienal.
Para Sayad, o MAC "tem um acervo de alta qualidade, que hoje não encontra espaço de exposição" em sua sede, na Cidade Universitária, nem no anexo, no pavilhão da Bienal.
Problema semelhante, acredita ele, se dá com a Pinacoteca. "Estamos programando a construção de um novo prédio para a Pinacoteca, também no parque da Luz, no lugar do colégio Presidente Prudente, que passaria para outro local. Precisamos ver apenas se a escola não está tombada", declarou.

História de São Paulo
Até junho, anunciou, será implementado o Museu da História de São Paulo, em uma antiga indústria localizada na esquina da Radial Leste com a r. da Mooca (onde ficava a boate Fabbrica 5). "Vai tentar refletir os vários ciclos econômicos da cidade, o café, os bandeirantes, a indústria etc."
No Palácio das Indústrias, antiga sede da prefeitura, será implementado o Centro Educacional Catavento.

Fábricas de cultura
Ele anunciou também o início do programa Fábricas de Cultura. A princípio, serão nove oficinas de formação artística montadas em bairros da periferia como Vila Brasilândia (norte), Cidade Tiradentes (leste) e Capão Redondo (sul).
O programa foi negociado em 2002 com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que concederá financiamento de US$ 20 milhões.
"Havia dificuldades de ordem burocrática entre o Tesouro e o BID, que agora foram resolvidos", disse Sayad.
As duas primeiras "fábricas", que devem ser inauguradas em maio, serão implementadas em CEUs (Centro Educacional Unificado). Se a idéia der certo, é provável que as 42 fábricas programadas sejam implementadas em prédios dos CEUs.
Em relação ao cinema, para o próximo semestre a secretaria promete comprar 1,5 milhão de ingressos para distribuir em escolas estaduais. Os bilhetes só poderão ser utilizados para filmes nacionais.
Até o final da gestão, de acordo com Sayad, serão distribuídos 7,5 milhões de bilhetes. A Virada Cultural, projeto da Prefeitura de SP que programa 24 horas de eventos culturais, será adotada pelo Estado neste ano.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.