text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Espaço África e Inter-Americano

      

Por Lílian Burgardt, de Curitiba

A primeira coisa que é preciso entender antes de pensar em cooperação Brasil/áfrica é a diferença entre assistencialismo e cooperação. Foi esse o discurso que a sub-chefe de Divisão de Temas Educacionais do Ministério das Relações Exteriores, Márcia Jabor Canizio, responsável pela parceria com países do continente africano, fez questão de enfatizar na primeira palestra da tarde, sobre o Espaço áfrica e Inter-Americano.

Segundo ela, a atuação do Brasil na áfrica está intrinsecamente relacionada ao conceito de universalização e tratamento igualitário. Márcia citou os dois principais programas de fomento aos alunos estrangeiros interessados em estudar no Brasil promovidos pelo governo federal, são eles: O PEC (Programa Estudante-Convênio), destinado a alunos de graduação (PEC-G) e de pós-graduação (PEC-PG).

O PEC-G é dirigido a estudantes de países conveniados da América Latina, Caribe e áfrica interessados em cursar graduação nas 70 instituições de ensino superior brasileiras participantes - a grande maioria delas de universidades federais ou estaduais. Clique para saber mais sobre o PEC-G

Já o PEC-PG, que prevê, inclusive, a concessão de bolsas de estudos, é voltado à formação de mestres e doutores nas instituições nacionais. Além das três regiões incluídas no PEC-G, o PEC-PG também engloba países em desenvolvimento da ásia e Oceania. Clique para saber mais sobre o PEC-PG

O representante do Ministério da Educação Superior de Cuba, Dimas Hernandez Gutiérrez, começou seu discurso com uma explanação sobre o Ensino Superior cubano apontando dados do número de estudantes estrangeiros presentes em seu país. Embora todos saibam da qualidade dos estudos de saúde pública e medicina no país, foi curioso constatar a informação de que a maior parte de alunos estrangeiros provêm dos Estados Unidos.

Na seqüência, destacou a importância dos países latino-americanos se envolverem em um esquema de cooperação, a fim de se tornarem mais competitivos. "Quando falamos em internacionalização das universidades estamos pensando na universalização do conhecimento, que é o objetivo das IES e do Ensino Superior, ou seja, transpor muros e barreiras", ressaltou.

Também participou da palestra sobre áfrica e Inter-Americano a presidente da ABECAN (Associação Brasileira de Estudos Canadenses), Ana Rosa Ramos, trazendo mais informações sobre o país e se colocando a disposição para estabelecer parcerias com universidades brasileiras.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.