text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

ESPM troca comando e fecha novas parcerias com escolas no exterior

      
Intensificar o processo de internacionalização da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), sem recorrer a investidores estrangeiros, nem abrir seu capital, é um dos desafios do publicitário Luiz Celso de Piratininga, que assumiu ontem a presidência da instituição, cargo ocupado nos últimos 26 anos por Francisco Gracioso, que passa a integrar o conselho de administração.

As parcerias já existentes com universidades do exterior, como a canadense McGill University, com sede em Montreal, a espanhola Universidad Antonio de Nebrija, com sede em Madri, a norte-americana University of California, Riverside (UCR), entre outras, será ampliada este ano com a criação de um MBA (Master of Business Administration) que será ministrado exclusivamente em inglês em conjunto com a Florida International University (FIU). O novo curso será anunciado em junho, com a presença do reitor da FIU no Brasil.

A ESPM já está recebendo oito alunos de Riverside, interessados em estudar a economia brasileira no geral e o pensamento específico desenvolvido pelos profissionais de marketing e de propaganda, hoje reconhecidos mundialmente.

Os módulos iniciais formatados para essa turma servirão de base para a criação de centros de estudos brasileiros nas universidades parceiras no exterior, diz Piratininga. Também faz parte do projeto fazer uma rede acadêmica com participantes de instituições do Mercosul, para posterior expansão na América Latina.

A geração de conhecimento é um dos alicerces da nova fase da escola, com grande ênfase em inovação, ressalta Francisco Gracioso. O Retail Lab é um exemplo. Em seu espaço, são replicados ambientes de supermercados, lojas de departamentos, lojas de conveniência, onde são simuladas operações de vendas, em toda sua complexidade, e produzidas pesquisas de comportamento de consumidores.

Sustentabilidade

A escola de negócios também pretende se destacar por implementar ações de sustentabilidade, afirma Piratininga. A questão da responsabilidade social vai permear toda a grade curricular, com o objetivo de integrar a formação acadêmica e fazer parte da estratégia de atuação dos profissionais ali formados, diz Gracioso.

A ESPM já desenvolve projetos nessa área, com foco no apoio a comunidades carentes, da construção de uma marca para os produtores de ostra de Cananéia, no litoral sul de São Paulo, a eventos junto à população da favela no bairro de Vila Mariana, onde está instalada.

Segundo Piratininga, a instituição não tem intenção de participar do forte movimento de fusões e aquisições registrado hoje no mercado de ensino superior privado. "Vamos manter o mesmo tamanho, o mesmo padrão de qualidade, a mesma lucratividade." Em 2006, a ESPM faturou R$ 150 milhões e prevê crescer 15% neste ano, superando R$ 170 milhões.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.