text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Espanhol, Inglês e Brasil: uma mistura quente

      


Chegando na Espanha, minhas aulas de espanhol já tinham começado. O certo seria que eu fosse logo na segunda-feira (mas nesta data, só ia rolar uma recepção e o teste de nivelamento). Eu cheguei atrasada, na terça-feira, mas não em tempo de ir para aula. Assim, oficialmente, meu primeiro dia de aula foi na quarta-feira. O pessoal já se conhecia e eu não senti uma abertura para me aproximar. Estava acostumada com o ritmo londrino (muitos estrangeiros querendo fazer amizades na aula e, no trabalho - onde passávamos a maioria do tempo - o pessoal já tinha certa intimidade e um bom relacionamento, já que o círculo de amigos era restrito).

Não é que aqui seja muito diferente, mas parece que bastou os dias iniciais que perdi para deixar de conhecer o pessoal. Aos poucos fui conversando com alguns e conhecendo a turma. Honestamente não existe ainda aquele tipo de relacionamento mais íntimo, natural, sabe? Já me mudei para o flat e, por enquanto, vivo com duas meninas, uma americana e outra alemã. Estamos nos dando muito bem. Conversando bastante e começando a fazer mais coisas juntas. Em breve, a alemã irá se mudar e virá uma "hermana" argentina, além de uma holandesa.

Nessas três semanas de intensivo de espanhol, com exceção das três horas diárias de aula, a única língua que se falava era o inglês. Todos esses primeiros colegas são fluentes em inglês, o que me pareceu incrível. Era como se fosse uma língua simples, que já viesse do berço. Fiquei impressionada! Por conta disso, no início, meu espanhol não melhorou muito. Só treinava nas aulas e para pedir informações na cidade. Em casa também era o inglês a língua dominante (tanto na época que estava no albergue como aqui no flat).

Para as aulas de graduação, chegaram muitos outros intercambistas, entre eles, os latinos (que não precisavam fazer o intensivo) e muitos franceses e alemães. Foi ótima a chegada dos latinos, primeiro por ser um povo mais parecido conosco, segundo, para pressionar o pessoal a falar espanhol. A maioria deles não tem um inglês fluente, então muitos intercambistas que já estavam aqui estão se esforçando para falar espanhol. Claro que o inglês ainda continua muito forte, sempre que não tem um falante nativo de espanhol é o inglês a língua predominante.

Essa foi minha segunda semana de aula da graduação, e até agora, gostei bastante. Os professores pareceram bons e os colegas espanhóis são muito "gente boa". Tem uma cadeira chamada Sistema de Informação em que eu sou a única aluna "Erasmus" (intercambista), o que achei interessante para ter mais contato com os espanhóis. Tinha que formar um grupo, no qual vamos trabalhar até o final do semestre e foi super tranqüilo.

Logo que cheguei, uma menina super simpática já me recepcionou e perguntou de onde era, etc. Então perguntei se poderia participar do grupo delas, mas já estava cheio. Daí ela perguntou para uns colegas do lado se o grupo deles estava cheio e também estava. Saí perguntando pela turma toda, do outro lado da sala ainda tinha uma só vaga, fechou! O grupo parece ser muito legal, fui super bem-vinda. O mais legal é que pude conversar com os espanhóis, perguntar sobre a cultura, a comida, o que fazem, etc. Na outra cadeira que estou fazendo já tem mais "Erasmus", ao todo, já somos seis. Nesta cadeira, porém, já não tenho tanto contato com os espanhóis, mas assim está sendo bom, pois estou vivenciando os dois.

Uma verde-amarela entre nós

Ser brasileiro é algo diferente de qualquer outro país. Não sei se é graças ao nosso futebol, mas quando perguntam "de onde você é? e você responde: Brasil, a pessoa passa a te olhar diferente e fala: BRASILEIRO!!!!

? impressionante como todos adoram quando falamos nossa nacionalidade e dizem que gostariam muito de conhecer o Brasil. Esses dias, inclusive, quando disse a um francês que morou seis meses no Brasil que eu era brasileira ele não parava de gritar: BRASIL, BRASIL, BRASIL!! BRASIL ? O MELHOR!! :):):)

Nome: Ana Pizzutti

Idade: 23 anos

Universidade: Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos)

Curso: Comércio exterior
Programa: Graduação Sanduíche
País de destino: Espanha
Cidade: San Sebastián
Universidade:Universidad de Deusto
Previsão de retorno: julho de 2007

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.