text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

UNE organiza dia de protesto

      

Do Universia

A "onda" de protestos em universidades públicas, iniciada com a invasão da reitoria da USP (Universidade de São Paulo), ganhou maiores proporções nesta terça-feira. Alunos de outras instituições, principalmente da região Sul, seguiram o exemplo dos estuantes da instituição paulista e tomaram o controle das reitorias. Ao mesmo tempo, para esta quarta-feira, a UNE (União Nacional dos Estudantes) convoca o "Dia Nacional de Mobilização nas Universidades Públicas", o que deve aumentar o número de manifestações.

O momento é propício. Enquanto em São Paulo a reitoria da USP permanece ocupada há 34 dias por estudantes, Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Unesp (universidade Estadual Paulista) e Fatecs (Faculdades de Tecnologia) também aderiram aos protestos. No sul, as reitorias da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e a da UFSM (Federal de Santa Maria) foram ocupadas hoje.

O mesmo ocorreu na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), onde o reitor José Carlos Hennemann recebeu uma comissão de alunos para se tentar um acordo. No nordeste, a reitoria da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) foi mais uma ocupada por alunos na manhã da terça-feira.

"O sentido da manifestação é pressionar o Governo Federal para atender as nossas reivindicações. Entre elas, talvez a principal e mais urgente seja a da criação de um Plano Nacional de Assistência Estudantil, que é um projeto para dar condições aos estudantes com mais dificuldades socioeconômicas de permanecer e concluir o seu curso", afirma Gustavo Petta, presidente da UNE.

Dia de protestos

Nesta quarta-feira, a UNE espera a adesão de mais de 20 universidades em todo o país. "Nossa reivindicação é antiga e não vem sendo atendida, por isso resolvemos chamar a atenção da sociedade, fazer manifestações com passeatas, com ocupações de 24 horas, com vigílias, com diversas formas de manifestação para pressionar o Governo Federal a atender essa reivindicação da UNE", complementa Petta.

Reivindicações

Em seu site, a UNE publicou sua carta de reivindicações ao governo federal. Confira abaixo a reprodução dos principais pontos:

"1) Criação do Plano Nacional de Assistência Estudantil, com rubrica orçamentária específica que contemple a construção e ampliação de creches, restaurantes universitários, moradia estudantil, financiamento para o transporte e bolsas de auxílio aos estudantes carentes.

2) Garantia de autonomia administrativa e de gestão financeira para as IFEs (Instituições Federais de Ensino Superior). Democratização da Universidade em todos os âmbitos. Eleições diretas para reitor e garantia de paridade nos Conselhos Universitários.

3) Derrubada dos vetos ao Plano Nacional de Educação, garantindo o investimento de 10% do PIB destinado à educação."

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.