text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Educação Física: "Mens sana in corpore sano"

      

Do Universia

Um estudante que aprende sobre as diversas funções do corpo e mente humana. Ao mesmo tempo, um profissional que trabalha com diferentes públicos em vários lugares. Assim é o Profissional de Educação Física, tenha formação em Licenciatura ou Bacharelado, é ele quem faz a ponte entre qualidade de vida e a prática de exercícios físicos.

O curso de Educação Física, mais do que apenas ensinar futebol, instrui os alunos a cuidar não só da parte biológica, mas também da parte psicológica das pessoas. "Na faculdade entendemos a importância da saúde, não só física, mas mental também. Conseguimos ter um entendimento amplo do ser humano", revela Janaína Buchalla, estudante da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Nos últimos anos, o número de formandos em Educação Física vem crescendo continuamente. Segundo dados do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), em 2005 - último dado disponível - aproximadamente 21.000 estudantes concluíram a graduação, cerca de 46% a mais do que no ano de 2003.

"O 'boom' na área de Educação Física tem muito a ver com a conscientização das pessoas sobre a importância da saúde, do bem estar, da diminuição do stress. Além da parte estética, praticar exercícios físicos faz com que várias patologias não se desenvolvam e cria hábitos saudáveis de alimentação e consciência corporal", diz Flávio Delmanto, presidente do CREF (Conselho Regional de Educação Física) e coordenador do curso da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas).

O profissional de Educação Física tem um vasto campo de atuação e, segundo Delmanto, existem cerca de 84 áreas em que o educador pode atuar. No entanto, é importante ressaltar que existem diferenças na atuação do Bacharel e do Licenciado. "A licenciatura é um campo voltado para o ensino, dedicado à formação de professores. Já o bacharel, pode atuar em outras instituições como academias e hospitais ou também como personal trainer, mas, o ideal, é que o profissional seja completo e tenha as duas formações", conclui Eduardo Montero, coordenador do curso no UNINOVE (Centro Universitário Nove de Julho).

O piso salarial da categoria varia de um estado para o outro e depende também do sindicato de cada área de atuação específica. Ainda existem regiões no Brasil que não possuem um sindicato, o que torna difícil definir um valor fixo de remuneração inicial para a classe.

Leia as entrevistas abaixo e descubra os motivos que levaram uma vestibulanda, uma graduanda e um profissional a escolher o curso de Educação Física:

Idade: 18 anos

Priscila dos Santos Costa

Idade: 21 anos

Onde estuda: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Janaína Buchalla dos Reis

Idade: 30 anos

Profissão: Coordenador de Musculação da Academia Bio Ritmo, graduado pela UnG (Universidade de Guarulhos)

Sérgio Gellotti
Vestibulando - Por que escolheu a profissão?

Tem gente na minha família que fez Educação Física e desde pequena eu gosto muito. Quando tinha nove anos cheguei a pesar 57 quilos que é o mesmo que peso hoje em dia. Então, fiz acompanhamento com Nutricionista e com Educador Físico e acabei me apaixonando pela profissão.

Graduando - Por que escolheu a profissão?

Desde os 14 anos dou aula de dança, ãróbica, local, participava de olimpíadas na escola, ou seja, já estava inserida na área de Educação Física. E minha mãe sempre teve academia de ginástica, por isso sempre tive contato com esse mundo.

Profissional - Por que escolheu a profissão?

Desde pequeno eu tinha o sonho de trabalhar com pessoas, com crianças, em academia, recreação. Porque Educação Física não é só jogar futebol como algumas pessoas ainda pensam. Tem muito mais coisas que um profissional da área pode fazer.

Vestibulando - O que espera do curso?

Já li bastante a respeito e espero que o curso me acrescente não somente matérias pertinentes, como uma visão de mundo em geral.

Graduando - O curso corresponde às suas expectativas?

Muito. Aliás vai até além. A área de Educação Física abre um grande leque de possibilidades.

Profissional - O curso correspondeu às suas expectativas?

Sinceramente não. Acho que os cursos, em geral, deixam a desejar quanto ao que realmente é Educação Física na prática.

Vestibulando - Quanto espera ganhar depois de formada?

Antigamente, me preocupava com a questão salarial. Mas, agora, não dou muita importância pra isso, o importante é realmente fazer o que se gosta.

Graduando - Quanto espera ganhar depois de formada?

Na verdade quero me formar e trabalhar na parte administrativa. Gerenciar, coordenar, cuidar da qualidade de vida, fazer com que as pessoas entendam o porquê da pratica de Educação Física, trabalhar a motivação. Acho que trabalhando nessa área vou ganhar em torno de R$3.000,00 por mês.

Profissional - Quanto ganha?

Ainda paga-se muito pouco para o profissional dessa área porque as pessoas têm a visão de que Educação Física não é uma profissão muito séria, e claro, isso acaba tendo um impacto na área financeira. Mas um profissional como eu, que estou a mais de 10 anos na área, e que procura ter outras especializações, ganha entre R$6.000 e R$8.000.

Vestibulando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?

Acho que ajudar as pessoas a manter a forma física. Trabalhar para que as pessoas tenham uma boa saúde, auto-estima, será muito bom.

Graduando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?

Acho que despertar nas pessoas a consciência de cuidar do corpo, afinal o corpo é como seu carro, é sempre necessário estar com ele em dia.

Profissional - O que acha de melhor na profissão?

Sou suspeito para falar porque adoro a profissão. Mas acho que saber que você tem um papel importante na mudança de hábitos das pessoas, na melhora da qualidade de vida, no aumento da auto-estima, é muito gratificante. Hoje apenas 2% da população brasileira faz exercícios físicos, o que é um número pouco expressivo. As pessoas vivem estressadas, dormem menos do que deveriam e os exercícios físicos só fazem melhorar esse quadro.

Vestibulando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?

Acho que em qualquer profissão coisas boas e ruins podem acontecer. Como trabalho desde os 16 anos, não tenho medo de obstáculos, mas acho que não conseguir se localizar no mercado seria o pior para mim.

Graduando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?

Acho que o preconceito das pessoas, o tabu em torno da Educação Física. Muitos ainda acham que é uma profissão de "vagabundos" e não reconhecem sua importância.

Profissional - O que você acha de pior na profissão?

Essa falta de conhecimento e reconhecimento das pessoas e de outros profissionais, pela área. ? necessário que as pessoas compreendam que a Educação Física pode fazer muito pela qualidade de vida das pessoas.

Vestibulando - Que análise você faz da profissão no Brasil?

Acho que é uma área que está em constante crescimento e tende a crescer ainda mais.

Graduando - Que análise você faz da profissão no Brasil?

Sem dúvida alguma, a área vai crescer muito no Brasil. Aqui temos todos os ingredientes para fazer um ótimo trabalho: carnaval, clima, variedade de alimentos, pessoas preocupadas com a saúde. Aqui há uma maior preocupação com o corpo, diferente dos EUA, por exemplo, onde as pessoas comem muitas besteiras, e quase não tem tempo para fazer exercícios físicos. Acho que o Brasil é um lugar muito propício para os esportes, aqui o contato é grande, seja entre pessoas, ou com a natureza.

Profissional - Que análise você faz da profissão no Brasil?

Acho que a profissão é pouco explorada. O potencial é muito grande, sabemos que podemos fazer mais. Trabalhar com deficientes físicos é um grande desafio. Os idosos também são um público interessante para trabalhar. Hoje a maioria das pessoas que pratica exercícios físicos tem entre 21 e 30 anos. Isso pode mudar.

Vestibulando - Que dica você daria a estudantes que estão em dúvida entre Educação Física e outras áreas?

Acho que você tem que pesquisar bastante, eu mesmo pensei em fazer Nutrição, mas vi que Educação Física tinha mais a ver comigo. Acho que fazer o que gosta ajuda a ser um profissional melhor.

Graduando - Que dica você daria aos estudantes interessados em Educação Física?

Façam o curso. Tenham paciência, pesquisem. ? um curso que abrirá a cabeça de vocês em relação à área. O espaço no mercado de trabalho é grande e vai crescer ainda mais, pois há muito a ser feito e descoberto. Vale a pena!

Profissional - Que dica você daria aos alunos interessados nessa profissão?

Ter força de vontade, criatividade, estudar muito, procurar ter conhecimentos além da parte técnica, ou seja, ser atualizado a respeito do que acontece no mundo, que hoje é o que as empresas da área esperam do profissional.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.