text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Palavra dos campeões

      

Do Universia

Ganhar uma disputa como a dos Prêmios Santander de Empreendedorismo e Ciência e Inovação pode ser um salto decisivo na carreira dos participantes. Não apenas pela exposição e visibilidade que a conquista traz, mas também pelo alto nível dos projetos participantes. Ser o vencedor entre tantos participantes pode ser, até mesmo, o sinal de auto-afirmação que faltava para o seu projeto.

Foi o que aconteceu com Fábio Monaro Engelmann, vencedor do Prêmio Santander de Ciência e Inovação em 2006. Além de receber um apoio substancial, também pôde confirmar a importância do seu projeto. "Depois que ganhei esse prêmio, senti que realmente minha idéia era boa", conta. "Esse reconhecimento é muito importante, além do dinheiro, que me ajudou e continua ajudando muito."

Conheça, abaixo, a história de dois vencedores dos Prêmios Santander de Empreendedorismo e Ciência e Inovação:

Projeto sócio-responsável

O vencedor do Prêmio de Empreendedorismo 2005, Guilherme. Foto: Carlos Della Rocca
Em tempos de preocupação com o aquecimento global, com a poluição emitida por todos, o Prêmio Santander de Empreendedorismo apresentou no ano de 2005 uma possível resolução para um problema que poucas pessoas conhecem.

Os tijolos, muito usados no Brasil e em todo o mundo para construção de casas, prédios e qualquer estabelecimento também emitem poluição graças a sua composição.

Para combater esta ação, Guilherme Fábio de Mello, de Natal-RN, aluno da UFRN (Universidade Federal do rio Grande do Norte), desenvolveu em suas pesquisas um "tijolo ecológico". O novo material já foi patenteado e deve começar a ser comercializado em meados de julho de 2008.

O tijolo criado por Mello faz com que a substância poluente fique presa no próprio material, o que, segundo ele, chamou a atenção de grandes construtoras. "Existe a perspectiva de uma boa aceitação, já que o produto foi testado em laboratório, aprovado e já há o interesse das construtoras", conta Mello, orgulhoso do seu projeto.

Mello também falou sobre a importância do Prêmio Santander: "o prêmio é fantástico. Me ofereceu possibilidades para realizar meus sonhos, desenvolver aquilo que queria. ? uma iniciativa rara e louvável de uma empresa séria".

Indicador para a saúde

Os danos à saúde da pele causados pela ação do sol, têm se tornado preocupação frequente para especialistas em todo o mundo. Pensando nisso, Fábio Monaro Engelmann criou um adesivo que, ao ser colado na pele, muda de cor, indicando a hora certa para repassar o protetor solar ou parar de tomar sol.

Engelmann, vencedor em 2006, entre o ex-governador Cláudio Lembo e a reitora da USP (Universidade de São Paulo), Suely Villela. Foto: Carlos Della Rocca

Além do lado saudável, há também o estético, segundo o próprio criador do produto. "A intenção é atingir o maior número de pessoas possíveis, inclusive as crianças, os jovens, nem que seja só pela beleza do produto. Pelo menos é uma preocupação estética que faz bem", explica.

Engelmann foi ganhador do Prêmio Santander de Ciência e Inovação em 2006, e diz que graças a essa conquista, é que conseguiu ter uma certeza sobre seu produto. "Depois que ganhei esse prêmio, senti que realmente minha idéia era boa. Esse reconhecimento é muito importante, além do dinheiro que ajudou e continua ajudando muito", comemora.

Aliás, graças a quantia conquistada em dinheiro, é que o vencedor do prêmio provavelmente consiga comercializar seu produto até o final desse ano. Engelmann elogia a iniciativa do Prêmio: "quem investe nos projetos pessoais dos pesquisadores? Antes do prêmio, eu corria atrás de parceiros para expor meu projeto. Hoje, eles é que me procuram", compara o vencedor.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.