text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Prêmio de Ciência e Inovação busca benefício social

      

Por Marcel Frota

Voltado para doutores e pesquisas de perfil tecnológico-inovador, o terceiro prêmio Santander de Ciência e Inovação vai distribuir R$ 150 mil aos trabalhos vencedores. Serão R$ 50 mil aos ganhadores nas categorias Indústria; Tecnologia da Informação e Comunicação; e Biotecnologia. ? difícil apontar com precisão o que um pesquisador precisa fazer para triunfar entre tantos trabalhos, mas membros da comissão julgadora dão algumas pistas do que é preciso contemplar para trilhar com êxito o trajeto que vai da apresentação da proposta até a avaliação final.

Os responsáveis pela análise dos projetos são unânimes: não basta uma boa idéia, é fundamental demonstrar que essa boa idéia pode ser executada, vai gerar benefício social e é viável do ponto de vista econômico-financeiro. "A questão principal é mostrar de preferência a utilização daquilo que é proposto. ? a diferença entre invenção e inovação. Ou seja, demonstrar que aquilo que se apresentou tem aplicação ou está em fase de aplicação. Somente a idéia não é suficiente", opina o professor Guilherme Ary Plonski, coordenador do núcleo de política e gestão da USP (Universidade de São Paulo) e membro da comissão julgadora da terceira edição do Prêmio Santander de Ciência e Inovação.

"Ao definir Ciência e Inovação, o prêmio define duas coisas: ciência e aplicação. O que o prêmio busca é a aplicabilidade do conhecimento adqüirido na academia", completa o professor Oswaldo Massambani, diretor da Agência USP de Inovação e também membro da comissão julgadora do prêmio Santander de Ciência e Inovação. Ele destaca que a associação entre um pesquisador e uma empresa ou organização, além de requisito básico para participar do prêmio, é um sinal importante. Segundo ele, isso indica que a proposta já se encontra em posição de concorrer com certa vantagem por ter recebido aval do setor produtivo, o que indicaria um sinal de viabilidade técnica e econômica.

Massambani aponta outras características que as propostas devem ter. "Recomendo que os pesquisadores elaborem uma proposta de projeto que seja lúcida em termos de objetivo, que tenham clara definição da idéia do projeto e os ingredientes metodológicos. ? também absolutamente relevante uma visão clara das condições técnicas da equipe para desenvolver esse projeto e definição de eventuais demandas de recursos humanos", afirma ele, que também chama a atenção para outros aspectos que o prêmio busca, como a questão social. "O conhecimento tem de trabalhar para o desenvolvimento da sociedade. Não estamos falando de conhecimento que não traga benefícios sócio-econômicos", acrescenta o professor.

As inscrições para a terceira edição do Prêmio Santander de Ciência e Inovação terminam no dia 16 de setembro. Mas detalhes sobre o cronograma e informações diversas estão no site oficial do Prêmio.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.