text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Prêmios à inovação

      


- Prêmios à inovação: conheça o Prêmio Santander

- Palavra dos campeões: quem já ganhou conta sua história

- Caminho das pedras: dicas para ser um vencedor

- Orientação valiosa: Comissão julgadora dá dicas para um bom projeto


Do Universia

Em pleno processo de inscrições para sua terceira edição, os Prêmios Santander de Empreendedorismo e Ciência e Inovação comemoram resultados positivos. Frutos de um apoio constante e institucionalizado do Banco Santander às iniciativas do Ensino Superior, os prêmios já se firmaram como parte da agenda acadêmica do país, mobilizando todos os atores do meio acadêmico - alunos, docentes e gestores.

Para o vice-presidente do Santander Universidades, Jamil Hannouche, a repercussão alcançada pela iniciativa tem realimentado o seu desenvolvimento ano a ano. "Os Prêmios Santander já se tornaram uma tradição nas universidades. E, dada essa alta adesão do meio, nesse ano, junto com os reitores, decidimos criar uma grande novidade. Para ampliar ainda mais a repercussão e, de fato, dar a amplitude que o prêmio merece, estendemos a premiação a quatro grandes cidades no país, criando cerimônias regionais em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, além da grande final em Brasília", explica o executivo. "A grande verdade é que os Prêmios, hoje, são uma marca registrada junto ao meio acadêmico."

Ao mesmo tempo em que crescem e ganham importância dentro do meio acadêmico, os Prêmios Santander também têm se firmado como um reflexo da produção e das relações interinstitucionais das universidades. Isso porque, o processo de criação e desenvolvimento da premiação conta com a participação ativa dos dirigentes das instituições de Ensino Superior, que ajudam a determinar os caminhos a serem seguidos.

"Somos apenas os apoiadores dos prêmios. Quem de fato conduz a direção a seguir nessa iniciativa são os reitores, durante as reuniões do conselho de reitores do Santander. Nesses encontros é que definimos o direcionamento das futuras edições", afirma Hannouche. "Estamos muito otimistas porque, hoje, os prêmios já fazem parte da agenda do Ensino Superior. E os reitores nos darão as diretrizes que seguiremos para fazer, a cada ano, um projeto ainda melhor."

Os vencedores

Outro ponto importante na consolidação dos Prêmios Santander de Empreendedorismo e Ciência e Inovação no meio acadêmico é a relevância e a qualidade dos projetos premiados. Mais do que boas idéias, estes têm se mostrados estudos consistentes, com aplicação prática. Alguns deles, inclusive, já estão no mercado, disputando espaço com grandes empresas.

Um desses casos é o de Américo Amorim, vencedor do Prêmio de Empreendedorismo em 2006, na categoria Tecnologia. Seu projeto, o software musical iChords, não apenas está no mercado, como já ganhou uma versão 2.0 para exibir cifras de música em iPods. "Conhecia o prêmio e quando foram abertas as inscrições ainda estava no meio da implementação do software. Acredito que a premiação nos dará maior visibilidade e aumentará a credibilidade da empresa", disse Amorim, em entrevista ao Universia.

Outro vencedor que está às portas do mercado com seu projeto vencedor é Fábio Monaro Engelmann. Ganhador do Prêmio Santander de Ciência e Inovação em 2006, ele desenvolveu um adesivo cutâneo que informa o momento para a reaplicação do filtro solar. O pesquisador diz que graças à conquista é que conseguiu ter certeza sobre seu produto. "Depois que ganhei esse prêmio, senti que realmente minha idéia era boa. Esse reconhecimento é muito importante, além do dinheiro que ajudou e continua ajudando muito", comemora.

Engelmann elogia a iniciativa do Prêmio: "quem investe nos projetos pessoais dos pesquisadores? Antes do prêmio, eu corria atrás de parceiros para expor meu projeto. Hoje, eles é que me procuram", compara o vencedor. Para conferir outras histórias de projetos vencedores dos Prêmios Santander de Empreendedorismo e Ciência e Inovação, clique no link "Palavra dos Campeões", no menu à direita.

Para o vice-presidente do Santander Universidades, os resultados apontam a qualidade da produção acadêmica desenvolvida nas universidades e a capacidade que esta tem de interferir positivamente na sociedade. "Nos últimos prêmios, temos visto projetos vencedores em que a aplicação prática da idéia é impressionante. E isso tem trazido impactos importantes para as comunidades em que estão inseridos", elogia Hannouche.

Responsabilidade Social e Educação

Ao chegar em sua terceira edição, os Prêmios Santander se firmam também como reflexo da atuação da empresa junto à Educação. Recentemente, o Banco Santander redefiniu sua estrutura de atendimento a estas instituições para ampliar a presença junto aos públicos presentes no meio acadêmico. Nesta linha de atuação, destacam-se a já citada organização dos Prêmios Santander e a manutenção do Universia como apoio acadêmico às instituições.

"Em todo o mundo, o Santander assumiu como eixo central na atuação de Responsabilidade Social o Ensino Superior. Para isso, temos uma série de iniciativas, serviços e produtos que são direcionados para este meio. Por esta importância, decidimos criar uma área focada no relacionamento com as instituições de Ensino Superior, o Santander Universidades, que contará com profissionais especializados neste atendimento", detalha Hannouche.

"Dentro dessas várias frentes, temos uma muito importante que é a de apoio às iniciativas acadêmicas ligadas ao empreendedorismo, à ciência e inovação e também à internacionalização das instituições, através dos programas de bolsas", complementa o executivo. "Por isso, o prêmio reflete aquilo que é o DNA da nossa atuação dentro das instituições de Ensino Superior. ? uma relação coerente entre o que pregamos e o que apoiamos".

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.