text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Avaliação como instrumento de gestão

      

Cesgranrio e a avaliação

Em 1985, a Fundação Cesgranrio concebeu o SAPIENS (Sistema de Avaliação Progressiva para Ingresso no Ensino Superior), com o objetivo de substituir o vestibular tradicional por um conjunto de avaliações progressivas, feitas ao longo das três séries do ensino médio, constituindo-se em uma nova alternativa de acesso ao ensino superior baseada na valorização do desempenho dos alunos durante sua vida acadêmica.

O SAPIENS foi o precursor das novas alternativas de acesso ao ensino superior que, hoje, estão sendo adotadas, com base na legislação educacional em vigor.

A Fundação Cesgranrio tem sido a responsável por avaliações nacionais de larga escala como SãB (ÿSistema de Avaliação da Educação Básica), ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), EXAME NACIONAL DE CURSOS (PROVÇO) e o ENCCEJA (Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos). Além dessas, tem realizado avaliações na área educacional para sistemas de ensino estaduais, municipais e do Distrito Federal.

O espaço para o crescimento do Ensino Superior com maior oferta de vagas nas IES (Instituições de Ensino Superior) privadas coloca em pauta outro tema delicado quando o assunto é qualidade do nível de ensino: a avaliação e certificação dos cursos.

Sabe-se que, hoje, é maior a oferta de vagas do que o número de concluintes do Ensino Médio no Brasil. Em números, são 2.436.000 vagas para 1.900,00 concluintes do Ensino Médio. Sabe-se, também, que a maior parte das vagas está concentrada nas IES particulares, no total, 2.123.000.

ÿDiante deste cenário, Como preparar os estudantes que, majoritariamente vem do ensino público para ocupar essas vagas? E mais, como garantir que as vagas criadas estão realmente servindo de oportunidade de crescimento e aperfeiçoamento acadêmico para quem as está ocupando?

Segundo a representante da Fundação Cesgranrio - instituição responsável por avaliações nacionais de larga escala como o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) que discursou sobre avaliação como ferramenta de gestão, Thereza Penna, a dificuldade de avaliar a qualidade do ensino no Brasil é um fator histórico, tanto no nível médio como superior.ÿ No entanto, sem instrumentos de avaliação, não há como garantir a qualidade. Assim, ela considera a existência de tais instrumentos fundamentais para garantir o sucesso e o progresso dos cursos superiores.ÿ

Na opinião de Thereza, em relação a parâmetros internacionais, o Brasil está relativamente atrás no que diz respeito à avaliação e certificação. No entanto, toda essa preocupação de examinar o ingressante e o concluinte demonstra um esforço do sistema de Educação Superior em se equiparar a padrões internacionais e colocar o ensino superior brasileiro em outro patamar?, disse.

Para ela, o que falta para que o Brasil entre de vez no caminho certo da avaliação e da certificação de qualidade é pensar em uma proposta de como conceituar cada curso levando em consideração todo seu processo de construção, virtudes e alcances. Também é necessária a criação de critérios absolutos e não comparativos. ?Para se avaliar com qualidade é preciso ter sensibilidade e bom-senso?, destacou.

Neste processo, Thereza também destaca o papel da instituição em estar atenta a sua realidade e buscar superação. "? preciso criar um plano de desenvolvimento referencial em curto, médio e em longo prazo para atingir as metas institucionais?, concluiu Thereza.ÿ

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.