text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Incremente sua aula com o uso de um podcast

      
Por Lilian Burgardt

Se a idéia de manter um blog educativo não pareceu atrãnte para você, professor, que tal tentar transformar sua disciplina em algo mais dinâmico por meio do uso depodcasts? O que começou como uma nova forma de entretenimento, já é considerada por especialistas - e alguns professores aventureiros dos programas de áudio na Internet - a mais nova alternativa para prender a atenção dos alunos e facilitar o acesso a informação. Afinal, onde quer que você esteja, basta ter um mp3 player por perto para aprender ou se informar.

Quem apostou na idéia garante: a ferramenta não funciona só com os antenados de plantão. Quem vive sem tempo ou estava desanimado com aulas expositivas, muda de postura quando complementa o aprendizado com o podcast. Segundo a ombudsman e também professora da União Cultural Brasil Estados Unidos, Silvia Regina D'Andrea, neste cenário o podcast vem com tudo porque alia informação, entretenimento, dinamismo e rapidez ao processo de ensino e aprendizado.

"Não há mais lugar para aquele professor que não quer se atualizar e que não gosta de computador e nem de tecnologia. O professor do futuro é aquele que saberá se comunicar na linguagem dos jovens e mais, poderá ensinar e ditar novas regras dentro das tecnologias que forem criadas", disse Silvia. A propriedade para afirmar isso vem da mudança sentida pela própria professora a partir do momento em que passou a utilizar tal tecnologia em sala de aula. Segundo ela, seus alunos passaram a compartilhar arquivos de áudio e a investigar novas notícias que poderiam ser comentadas e discutidas em inglês tornando as aulas muito mais dinâmicas.

A partir do uso da nova ferramenta em sala, a professora diz ter sentido um compromisso muito maior em buscar temas mais atuais e estar sempre de olho nos últimos acontecimentos para criar uma aula estimulante e inovadora. O que prova que a mudança ocorre nos dois sentidos: aluno/professor, professor/aluno. "Uma nova janela se abriu na frente deles e na minha, como professora. Os podcasts aumentam a mobilidade e a flexibilidade dos estudantes para aprender e tornam o aprendizado mais dinâmico," garante Silvia.

Na opinião da professora, outra função que o uso de tal recurso proporciona é consolidar uma visão crítica a partir da reflexão do estudante em cima de temas atuais e de relevância não só para seu país, mas para a comunidade internacional. "A aula de inglês, assim como qualquer outra aula, deve despertar estas características nos alunos. Não pode ser restrita apenas ao aprendizado do idioma, especialmente em tempos de globalização em que a mobilidade e a formação multicultural se tornam fundamentais", destaca ela.

Mas aquilo que parece novidade por aqui, ou seja, utilizar o podcast em sala de aula, já é um processo natural para professores e alunos de universidades estrangeiras, especialmente nos Estados Unidos. As instituições de educação disponibilizam o conteúdo digital em seus próprios sites ou em páginas que reúnem o material de dezenas de universidades, como é o caso do iTunes U, da Apple, e do UChannel, da Universidade de Princeton.

Em 2005, as universidades de Stanford, Duke, Berkeley e Wisconsin-Madison participaram do projeto piloto da Apple para criar o iTunes U, o "campus que nunca dorme". No site, lançado em maio passado, as instituições de educação oferecem gratuitamente o conteúdo de algumas aulas, palestras, debates e discursos. Mas não é só isso, quem quiser aprender outro idioma usando a Internet pode simplesmente acessar a página do iTunes no site da Apple e baixar, dentro da seção podcasts, cursos de inglês, italiano, espanhol, francês e alemão. "Hoje, as possibilidades são infinitas. Os podcasts estão disponíveis gratuitamente para quem quiser acessar", destaca Silvia.

Faça você mesmo

Fazendo um podcast

Antes de mais nada, para fazer um podcast você irá precisar de um bom microfone para gravar os programas no seu computador. Você também pode gravar no celular, em um mp3 player ou em um palm top. Uma dica é fazer um roteiro antes de gravar o programa.

Depois de gravado você terá que editar. Para isso, pode usar programas como o Audacity ou Goldwave . O próximo passo é enviar para a rede. Existem sites que hospedam o seu podcast como o brasileiro Locaweb.com ou o americano Godaddy.com.

Importante gerar um arquivo em RSS (Real Simple Syndication). Esse arquivo vai informar a seus futuros ouvintes sempre que um programa novo for postado e, o melhor, o programa é automaticamente baixado no computador do ouvinte.

Ouvir um podcast

Para ouvir um podcast você vai precisar de um programa agregador. Esse programa é que vai ler os arquivos RSS. Um exemplo de programa agregador é o iPodder. Você vai precisar de um programa que leia mp3. Um exemplo é o Windows Media Player. Você pode ouvir seus podcasts em qualquer tocador digital mp3.

Se você quer diversificar sua maneira de dar aula e usar o podcast pode também transformar seu material em formato digital. Além disso, você pode propor trabalhos em classe feitos em arquivos multimídia e publicados na Internet para difundir o conhecimento. Foi isso que fez o professor de Comunicação Social da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina) Rafãl Matos.

Com o auxílio de ferramentas como o podcast, o you tube e o my spaces, tradicionalmente utilizadas para o entretenimento, o professor high-tech passou a incentivar os alunos não só a aprimorar o aprendizado, como a fazer dessas ferramentas instrumentos de divulgação de seus trabalhos. Alguns estudantes criaram seus portfólios virtuais acrescentando os podcasts feitos em sala de aula. "Os podcasts podem servir de alavanca profissional, dependendo do modo como são utilizados. Isso despertou a atenção dos alunos. Além disso, ele propiciou uma interação durante a elaboração do trabalho que considero fundamental para fixar o que foi aprendido em aula", explica Matos.

Estimular o aluno em sala, ajudar a criar um bom portfólio e tornar a aula mais interessante para o professor, são algumas das principais funções do uso de novas tecnologias, o que inclui o podcast, em sala de aula. Mas não é só isso que as novas tecnologias podem fazer pelos professores. Que o diga o professor do departamento de Física da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), Nelson Studart, coordenador do projeto que visa a criação de um Portal de Física para a SBF (Sociedade Brasileira de Física).

A iniciativa partiu da necessidade não só de difundir os trabalhos e divulgar as ações desenvolvidas pela SBF, mas de desempenhar um papel determinante para o sucesso do ensino da Física no País. "O portal pretende suprir uma necessidade de divulgar os trabalhos desenvolvidos por especialistas da área, as ações da SBF, além de reunir materiais interessantes que possam servir de auxílio no processo de ensino e aprendizagem da Física no Brasil, especialmente no Ensino Fundamental e Médio", disse Studart.

Por meio do site, que ainda está em fase de pré-lançamento, professores e alunos de todo o país terão acesso gratuito a artigos, materiais multimídia - como vídeos e animações que contribuam para o aprendizado de determinado assunto da área -, jogos educativos e simulações de experiências, entre outros materiais didáticos. Os professores é quem irão alimentar o conteúdo do site e divulgar seus trabalhos e seus materiais. "Sabemos que, hoje, os alunos querem aprender de um jeito diferente. Não adianta continuar na cultura 'livresca', é preciso trabalhar com as ferramentas que eles utilizam para não ficarmos obsoletos", destaca.

Segundo Studart, a iniciativa de criar uma plataforma colaborativa para a difusão da Física e da melhoria do seu ensino é mostrar aos professores a importância de suas ações em prol do setor no Brasil. "Queremos mostrar ao professor que ele é fundamental neste processo, até para incentivar sua colaboração na difusão da Física. Sob esse aspecto, até o nome deste novo portal será escolhido pelos professores de acordo com as sugestões recebidas pela SBF", diz.

Para enviar sugestões de conteúdo ou mesmo para a escolha do novo nome do portal de divulgação da Física, os professores podem procurar o site https://dell.nossosite.com.br/fisica ou www.sbfisica.org.br. O vencedor do concurso para a escolha do nome do portal receberá uma assinatura anual da revista impressa FnE (Física na Escola), publicada pela SBF.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.