text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Unicamp é selecionada para indicar concorrentes ao Prêmio Nobel de Medicina

      

A Unicamp acaba de ser convidada para indicar os concorrentes ao Prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia de 2010. O convite, inédito, foi recebido por meio da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e coloca a Unicamp em pé de igualdade com instituições de ensino de renome internacional como Cambridge, Oxford, Massachusetts Institute of Technology (MIT) e Harvard que participaram, regularmente, da indicação de nomes nas diferentes áreas do conhecimento para o prêmio. "A Unicamp ser vista como uma instituição credenciada para a indicação de candidatos ao prêmio Nobel é sinal de reconhecimento da qualidade do trabalho de nossos pesquisadores, particularmente da FCM. Isso é motivo de orgulho", comentou o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Ronaldo Pilli.

Para o diretor da FCM, José Antônio Rocha Gontijo, um dos motivos da indicação da faculdade é a repercussão internacional de suas pesquisas. De 2004 a 2008, a FCM publicou 4.318 artigos e resumos em periódicos internacionais e mais de 5 mil em periódicos nacionais, além da publicação de livros e patentes. Em 2009, a área médica da Unicamp ganhou dois Núcleos de Ciência e Tecnologia, um voltado para o diabetes e outro para estudos do sangue.

A FCM pode indicar até dez pesquisadores brasileiros ou estrangeiros. Uma comissão coordenada pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Unicamp e formada por professores e pesquisadores da FCM, do Instituto de Biologia (IB), da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) e outros cientistas convidados tem até o dia 1º de fevereiro para enviar a relação de candidatos. O nome dos integrantes da comissão e dos indicados ao prêmio é mantido em sigilo, conforme normas estabelecidas pelo prêmio Nobel.

"Não podemos ter um espírito corporativo de indicar pessoas sem representatividade. Acho que devemos indicar um ou poucos nomes que mostrem a maturidade e a capacidade da Universidade de escolher pessoas que contribuíram, efetivamente, para o avanço da ciência", disse o diretor da FCM.
"As indicações dever ser bem justificadas e sucintas. O crivo é rigorosíssimo. Devemos ser como um farol a enxergar todas as áreas e não restringir as indicações", comentou o pró-reitor de Pesquisa.

O prêmio Nobel foi criado em 1901 pelo inventor sueco Alfred Nobel, criador da dinamite. O prêmio tem o objetivo de reconhecer pessoas que tiveram atuações marcantes nas áreas da física, da química, da medicina, da literatura e da paz. Tradicionalmente, medicina é a primeira área a receber o prêmio Nobel. Os prêmios são entregues no dia 10 de dezembro em Estocolmo, Suécia, exceto o da paz, que é entregue em Oslo, Noruega.

Em 2009, Elizabeth Blackburn, Jack Szostak e Carol Greider venceram o Nobel de Medicina ou Fisiologia pela descoberta de como os cromossomos são copiados e protegidos contra a degradação. Eles receberam um prêmio de mais um milhão de dólares. Os vencedores são escolhidos a partir de uma lista de indicados elaborada pela Fundação Nobel após consulta a algumas universidades e faculdades do mundo. Diferente da entrega do Oscar, a lista não é divulgada previamente. Apesar de haver sempre muitos palpites e favoritos, é difícil saber quem vai vencer.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Unicamp

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.