text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

UFSC, Brasil, Açores e Portugal debatem em Florianópolis futuro das fortalezas

      

A história das fortalezas da Ilha de Santa Catarina se confunde com a própria história da cidade, que no dia 23 de março completa 284 anos e originou-se como lugar de defesa contra as invasões estrangeiras. De 31 de março a 2 de abril, a situação das fortalezas catarinenses, a importância da sua memória e as soluções para sua preservação estarão em debate junto com a realidade das fortificações de diversos estados do Brasil, Portugal e Uruguai.

No mês do aniversário de Florianópolis e no ano em que a Universidade Federal de Santa Catarina comemora meio século de sua fundação, a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (Secarte) promove dois grandes eventos para discutir a administração e preservação de fortificações no Brasil e no mundo: o VI Seminário Regional de Cidades Fortificadas e o Primeiro Encontro Técnico de Gestores de Fortificações. Os eventos reunirão, no auditório da Reitoria, em Florianópolis, representantes de construções históricas de defesa de Santa Catarina, Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco, Pará, São Paulo, Açores e Uruguai. Em paralelo às apresentações e discussões, estão sendo preparadas uma mostra fotográfica e uma exibição de vídeos das fortificações participantes; exposição de maquetes das fortalezas da UFSC.

Durante o encontro, os gestores dos fortes apresentarão um panorama das ações desenvolvidas nas fortificações sob sua administração. Os paineis vão possibilitar uma troca de experiências no que diz respeito a questões que desafiam hoje todos os gestores: autossustentabilidade; parcerias e projetos; captação de recursos; corpo técnico; manutenção e conservação de edifícios e acervos; pesquisa e documentação; divulgação e difusão cultural; educação patrimonial; visitação e turismo, acessibilidade; uso adequado dos espaços e promoção de atividades artístico-culturais. O objetivo é compartilhar práticas criativas e bem-sucedidas de gestão visando a estabelecer intercâmbios e parcerias que ajudem a melhorar e modernizar a preservação desse patrimônio, explica Joi Cletison, coordenador do Projeto Fortalezas pela Secarte.

Participam do evento como representantes internacionais gestores do Forte de São Miguel, Fortaleza de Santa Teresa e Fortaleza del Cerro, localizados no Uruguai e Fortaleza de São Brás, em Ponta Delgada, localizada em Açores (Portugal). Por outros estados brasileiros estarão presentes gestores do Forte de Copacabana (Rio de Janeiro/RJ); Forte das Cinco Pontas (Recife/PE); Forte do Presépio (Belém/PA); Forte de São Marcelo (Salvador/BA); Casa do Trem Bélico (Santos/SP); Forte de São João (Bertioga/SP) e Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres da Ilha do Mel (Paranaguá/PR). De Santa Catarina, além das fortificações administradas pela UFSC na Grande Florianópolis (Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones, São José da Ponta Grossa e Bateria de São Cãtano) também participam o Forte de Santa Bárbara, que hoje é sede da Fundação Cultural Franklin Cascãs.

A grande contribuição da UFSC às pesquisas nessa área iniciadas em 2005, com a realização do primeiro Seminário, no Uruguai, é apresentação de um Banco de Dados sobre Fortificações no Mundo (www.fortalezas.org), que permitirá a ampliação das informações disponíveis sobre essas construções históricas. Desenvolvido por Tonera e acessado pela internet em três idiomas desde 2008, o projeto já tem cadastradas mais de 850 fortificações de vários países, entre eles Uruguai, Brasil, Chile e Colômbia.

O Banco de Dados foi desenvolvido para funcionar em forma de rede colaborativa, numa espécie de comunidade virtual de investigadores e instituições interessadas na história e na preservação das fortificações em todo o mundo, enfatiza o arquiteto Roberto Tonera, coordenador do Projeto Fortalezas Multimídia e um dos responsáveis pela preservação das fortalezas da UFSC. "Pretendemos agora avançar com essas pesquisas e disponibilizar os resultados alcançados a um público ainda maior", espera ele. Durante os seminários, os participantes poderão fazer consultas monitoradas ao Banco de Dados e também ao CD-ROM Fortalezas Multimídia.

Veja a programação

No terceiro dia (2/4) está prevista uma visita técnica às Fortalezas de Anhatomirim e Ratones, num passeio de escuna aberto a todos os participantes inscritos no evento.

Informações:

http://www.fortalezas.ufsc.br/6seminario/index.php ou pelos telefones (XX5548) 3721-5118; 3721 8304 e 9963-6324, ou pelo e-mail projeto@fortalezasmultimidia.com.br.

Para conhecer mais sobre essas fortificações mantidas pela UFSC, acesse na Internet o endereço www.fortalezas.ufsc.br.

Para conhecer sobre essas fortalezas e todas as demais fortificações da Ilha de Santa Catarina acesse na Internet o endereço www.fortalezasmultimidia.com.br/santa_catarina

Fonte: Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.