text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Unicamp: Um discurso pautado pelo preconceito

      

Tese defendida na FE revela barreiras enfrentadas por pessoas com deficiência

A lei previdenciária 8.213, de 1991, determina que empresas com mais de 100 funcionários, e progressivamente com o aumento deste número, empreguem uma cota de 2% a 5% de pessoas com deficiência e aquelas que passaram por reabilitação profissional no INSS. Tal dispositivo, que define quem são essas pessoas a partir de parâmetros objetivos, enquadra-se na política de ações afirmativas. Medidas como esta seriam desnecessárias se os empregadores naturalmente empregassem os deficientes. Não é o que acontece. Eles continuam sendo objeto de preconceito, tanto no discurso de pessoas como no de instituições. Para investigar aspectos desta problemática, a psicóloga Maria Eduarda Silva Leme desenvolveu sua tese de doutorado, defendida recentemente na Faculdade de Educação (FE).

Fonte: Assessoria de Comunicação da Unicamp

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.