text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

É possível conseguir um emprego pelo Facebook?

      
(Crédito: Cristovao / Shutterstock.com)
(Crédito: Cristovao / Shutterstock.com)

 

Já se foi o tempo em que imprimir currículos e sair por aí entregando de mão em mão era a única forma de conseguir um emprego. Atualmente, ser contratado por meio das redes sociais é mais comum do que se imagina.

 

» Facebook pretende ajudar a prevenir suicídio
» Os maiores sucessos do Twitter em 2011
» O que não compartilhar no Twitter e no LinkedIn

 

O problema é que as pessoas ainda não sabem como utilizar essas plataformas para alcançar seus objetivos. Por isso o site Mashable, que agrega notícias de carreira e mercado de trabalho, reuniu dados da CNN, LinkedIn e JobSearch para montar o guia rápido do emprego na internet.

 

Veja as informações que podem te ajudar a conseguir um emprego pelo Facebook:

 

# 54% dos candidatos a emprego têm perfis nas redes sociais. O número representa aproximadamente 9 em cada 10 pessoas que procuram por emprego mantendo contas em sites como o LinkedIn, o Facebook e o Twitter.

 

# A quantidade de norte-americanos que conseguiram um emprego por meio do Facebook em 2011 foi de 18.400.000 pessoas - número maior que a soma das populações das cidades de Los Angeles e Nova York. 8.000.000 pessoas foram empregadas pelo Twitter e por meio do LinkedIn, rede voltada para contatos profissionais, foram 10.200.000 pessoas contratadas.

 

# O Facebook, no entanto, se mostra a mais eficiente das três redes citadas para conseguir um emprego. Cerca de 50% das pessoas que buscam empregos usaram o site para encontrar vagas, enquanto 25% das pessoas usou o Twitter e 26% usou o LinkedIn.

 

# Quando se trata de informações profissionais o Facebook sai na frente de novo. 20% dos candidatos compartilha esse tipo de informação no seu perfil na rede social, contra 15% no LinkedIn e apenas 8% no Twitter.

 

# No caso das referências profissionais, o Twitter é o que menos indica, com apenas 6% dos “caçadores” de emprego conseguindo indicações pela rede social. O número aumenta para 9% no LinkedIn e para 16% no Facebook.

 

# Há os “Caçadores Super Sociais”: aqueles que são absolutamente envolvidos com redes sociais e possuem mais de 150 contatos nas suas listas. A cada 10 candidatos a vagas de emprego, pelo menos quatro são considerados “caçadores super sociais”. Desses quatro, pelo menos um consegue emprego por meio dos seus perfis.

 

# O LinkedIn, apesar de ser uma rede voltada especificamente para os contatos profissionais, é o que menos atrai usuários. O gráfico mostra que 84% dos caçadores super sociais estão no Facebook e 39% estão no Twitter, enquanto apenas 35% estão no LinkedIn.

 

A conclusão, no fim das contas, é que ser “Super Social” compensa mais, já que em comparação com os candidatos regulares, os caçadores super sociais encontram mais empregos pelo Twitter (32%), atualizam mais seu perfil no Facebook com informações profissionais (45%) e têm mais contato com recrutadores no LinkedIn (48%).

 

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.