Notícias

Diferenças no cérebro determinam pessoas que bebem mais, diz pesquisa

      
(Crédito: John T / Shutterstock.com)
(Crédito: John T / Shutterstock.com)

 

Um novo estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desvendou mais uma das diferenças do cérebro humano. De acordo com a nova pesquisa, são as diferenças do cérebro e algumas substâncias que são liberadas pelo álcool que determinam se a pessoa tem propensão ao alcoolismo ou não. Isso poderia ajudar a explicar por que algumas pessoas bebem mais do que as outras. As descobertas também podem ser úteis para melhorar os tratamentos médicos.

 

» Ervas chinesas ajudam a combater o alcoolismo, diz pesquisa
» Estudo diz que morangos protegem o estômago do álcool
» Álcool e energético é uma combinação perigosa; Entenda

 

Ainda segundo o estudo, o álcool provoca a liberação de opióides (moléculas de peptídeo chamadas endorfinas, encefalinas e dinorfinas) em centros de recompensa do cérebro. Com base nisso, os pesquisadores mediram a quantidade de opióides liberados no cérebro de um pequeno grupo de não-bebedores e de outro com pessoas que bebem muito.

 

Usando exames de PET (Tomografia por emissão de pósitrons), os pesquisadores descobriram que uma única bebida era capaz de liberar mais dois centros de recompensa de opióides no cérebro, que têm basicamente os mesmos efeitos no sistema nervoso central, ou seja, diminuem a sua atividade cerebral.


A partir desta relação, os autores concluíram que estes opióides estão intimamente ligados aos efeitos do álcool, e que muitas vezes eles são resultados de abusos da substância.

 

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.